20/02/2018 08h57

Marcha à ré

O poder de articulação do ministro Carlos Marun (MDB-MS) foi testado durante a cooptação de parlamentares para aprovar a reforma da previdência na Câmara. Como o “bateu, levou” do governo Temer fracassou, o jeito é recuar, deixar para tentar votar a proposta para depois, porque agora não há votos suficientes. A justificativa é que a suspensão se deve ao decreto de intervenção federal da segurança pública do Rio de Janeiro.

Balão

Ao comentar as articulações em torno do processo sucessório estadual, o presidente regional do PDT, João Leite Schimidt, revelou que o PT, parceiro tradicional do partido em Mato Grosso do Sul, está mais próximo de apoiar o projeto de reeleição do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “Muito cedo ainda para afirmar, estamos afinando os pontos. Tenho conversado com o PT também, mas me pareceu que estão pegando outra rota. Estão conversando mais com o Azambuja”.

Silêncio

Até o momento, os dois petistas têm trabalhado em silêncio, até porque os comandos nacionais de PT e PSDB são contrários à coligação com os principais adversários, incluindo também o MDB do presidente Michel Temer (SP) e do ex-governador André Puccinelli. Analistas, no entanto, não descartam possível apoio de petistas a Reinaldo Azambuja, mesmo sem homologação da aliança em convenção.

Que tiro foi esse!

Os episódios macabros no Rio e no Ceará só pioram a imagem do Brasil lá fora e de certa forma aumentam a necessidade de maior investimento na segurança. Quem sabe agora os parlamentares aceleram a votação da PEC 118/2011, que proíbe o contingenciamento de verbas do Fundo Nacional de Segurança Pública, relatada por Simone Tebet (MDB-MS). Ela queixa-se que o Fundo teve um contingenciamento de quase 50% em 2017. “Foram quase R$ 2 bilhões que deixaram de ser destinados aos estados “.

Plano

André Puccinelli disse que promover o desenvolvimento regional é um papel que precisa ser mais decisivo em MS e que a proposta deverá fazer parte do plano de Governo que o MDB está elaborando. No lançamento do programa MS Maior e Melhor, em Nova Andradina, ele revelou que por onde passou, “o sonho de progresso está presente entre os cidadão como algo que precisa ser retomado e por isso estamos ouvindo nossa gente, em busca das prioridades e do que efetivamente sonham e necessitam”.

Comentários