09/12/2014 11h56 – Atualizado em 09/12/2014 11h56

O menor que assassinou a garota de 12 anos, já está em Três Lagoas. Ele, que estudou na mesma escola com a vítima, diz que está arrependido e que praticou o roubo para pagar dívida de R$ 1 mil

Léo Lima com informações

O assassino da garota Maísa Martins, de 12 anos, já está em Três Lagoas. Em contato com o delegado Thiago Passos, titular do SIG (Setor de Investigações Gerais), a reportagem do Perfil News recebeu indicativo de que a Especializada vai ter “novidades daqui há pouco”, dando a entender que M.R., de 16 anos, acusado de ser o autor do disparo que acertou o pescoço da vítima e consequentemente a matou, já está na cidade.

Ao ser interrogado pelo delegado Jairo Mendes, titular da 5ª Delegacia de Polícia da Capital, o adolescente revelou que tinha uma dívida de R$ 1 mil e que praticou o roubo para cumprir esse “compromisso”. O crime aconteceu na noite da última sexta-feira (5) no Jardim Guanabara, em Três Lagoas.

Segundo o delegado Jairo Mendes, durante as investigações sobre o caso, policiais do SIG (Serviço de Investigações Gerais) descobriram que o adolescente estava na casa do tio, Jociel Cristian da Silva, de 24 anos, morador no bairro Nova Lima, na Capital. O padrasto Olisberto Cândido de Souza, de 32 anos, foi quem levou o menor para Campo Grande.

Ao delegado Mendes, M. contou que estudou com “Maisinha” (como era conhecida) em uma mesma escola e não tinha intenção de matá-la. Ele queria roubar para pagar uma dívida. “A arma estava engatilhada e disparou sozinha. Não queria machucar ninguém, estou arrependido”, disse o assassino, que é usuário de cocaína, à autoridade policial.

De acordo com o site Campo Grande News, para o delegado o menor contou que a arma, um revólver calibre 38, usada no assalto, foi jogada no rio Paraná logo após o crime.

OS FATOS

À Polícia, o adolescente contou que no dia do crime passou por um grupo, dois homens e uma mulher, e viu que um deles usava uma corrente de ouro. Maísa não estava entre as pessoas, ela chegou depois, segundo depoimento do menor. Interessado na joia, ele foi até um terreno baldio onede desenterrou a arma, que guardava no local, e chamou o amigo (ainda foragido) para fazer o assalto. De bicicleta, os dois chegaram e o menor anunciou o assalto dizendo: “ficam de boa eu só quero a corrente”.

Assustada, Maísa teria começado a gritar e o assaltante disparou um tiro na região da cabeça. Ela morreu ao dar entrada no Hospital Auxiliadora. O delegado Thiago Passos, coordenador das investigações em Três Lagoas, acredita que a menina tenha reconhecido o adolescente. “Ela disse o nome dele, conforme testemunhas. Na hora do crime, a vítima estava com uma criança de 7 meses no colo, que não ficou ferida.

Depois de ter atirado, o adolescente fugiu de bicicleta sem levar nada. Ele foi para um lado e o comparsa, um jovem de 21 anos, que está foragido, foi para outro. O adolescente chegou a passar a noite em uma mata e no outro dia foi para casa e confessou o crime à família. Ele relatou ainda que ficou sabendo depois que matou a adolescente.

Com medo de ser preso, o menor foi levado pelo padrasto para casa do tio, em Campo Grande. Os dois, Jociel e Olisberto, foram detidos e encaminhados a delegacia para prestar esclarecimento, mas seriam liberados.

O menor, que tem várias passagens pela polícia por roubo e danos ao patrimônio público, deve ser posteriormente encaminhado para a Unei.

O menor mostra tatuagem durante interrogatório em Campo Grande, antes de ser recambiado para Três Lagoas (Foto: Divulgação)

Comentários