Azambuja afirmou que estado “tem recurso para adquirir a vacina e imunizar a população assim que a Anvisa aprovar a segurança e eficácia do produto”

A vacinação contra a Covid-19 foi o assunto da manhã no Governo do Estado nesta terça-feira (8). O governador Reinaldo Azambuja participou de virtual com o ministro Eduardo Pazuello e, antes, concedeu entrevista a uma rádio sobre o assunto, em que garantiu que Mato Grosso do Sul tem recurso para adquirir a vacina e imunizar a população do Estado, assim que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovar a segurança e eficácia do produto.

Reinaldo Azambuja defende que a vacinação contra a doença causada pelo coronavírus seja feita pelo Ministério da Saúde por meio do Programa Nacional de Imunizações, mas explicou que está preparado para adquirir as doses, se for necessário. Para os grupos prioritários, como os idosos acima de 70 anos, índios e profissionais de saúde e de educação, Mato Grosso do Sul precisaria de cerca de 700 mil doses.

“Se o Ministério não fizer a coordenação ou não aceitar a paternidade de alguma vacina que possa ser aprovada, não tenha dúvida que nós vamos adquirir para Mato Grosso do Sul. Vamos comprar e disponibilizar para o Plano de Vacinação, que deveria ser organizado pelo Ministro da Saúde”, afirmou o governador.

Ele também destacou que não importa a paternidade da vacina. “Vamos fazer todo esforço para trazer a vacina, não importa de onde venha, essa questão de paternidade aí, se vem da China, é bem-vinda em Mato Grosso do Sul e nós queremos disponibilizar. Temos recursos disponíveis para comprar, o Governo do Estado está reservando. Já conversei com São Paulo, com o João Dória e a equipe do Butantan da possibilidade. Agora o Plano Nacional de Imunização, quem coordena é o Ministério da Saúde”, disse.

Reinaldo Azambuja, que concedeu entrevista à FM Capital por telefone, também destacou a importância da população respeitar as medidas de biossegurança, como o uso de máscaras e a distância social.

Governador Reinaldo Azambuja e secretário Geraldo Resende participaram de live com ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Fotos: Chico Ribeiro

O ministro Eduardo Pazuello afirmou que pode ser que até o fim de fevereiro tenha alguma vacina aprovada no Brasil e contou que o país fechou um acordo com a Oxford/AstraZeneca para adquirir 160 milhões de doses e aderiu ao consórcio Covax Facility para adquirir mais 42 milhões de doses. O montante é insuficiente para imunizar toda a população brasileira já que são necessárias duas doses por pessoa. Até o momento, nenhuma vacina obteve o aval da Anvisa.

Na reunião virtual em que participaram também os outros governadores, Reinaldo Azambuja contou com a presença do secretário de Saúde, Geraldo Resende.

Comentários