25/08/2014 10h06 – Atualizado em 25/08/2014 10h06

Meio Ambiente manda trocar árvores da praça Ramez Tebet

A ação seria para beneficiar os usuários do espaço público, permutando espécimes arbóreos que produzem mais sobra pelos que estavam plantados na praça

Léo Lima

A Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, está realizando a troca de árvores na praça Ramez Tebet de modo a proporcionar aos usuários do espaço público mais sombra. Pelo menos, a princípio, é o que a reportagem do Perfil News soube, no local, a respeito da ação da administração municipal na praça.

Neste momento, equipes do setor de serviços públicos da administração municipal realiza a operação no local. Árvores da espécie “resedá”, que estavam plantadas no local, foram arrancadas e nas covas vão ser assentadas “quaresmeiras”. Cerca de 50 plantas dessa espécie mais robusta vão ser plantadas.

O fato de ver árvores sendo arrancadas causou indignação em alguns transeuntes, mas eram acalmados com a notícia de que a troca era por uma “boa causa”: mais sombra na praça.

Em contato com a Secretaria de Meio Ambiente, a informação era de que o secretário Nuna não se encontrava. Foi indicada a diretora Ana Paula Mendes Lima, do Departamento de Preservação, Licenciamento e Educação Ambiental para falar a respeito, mas até o fechamento deste texto não houve retorno.

RESEDÁ

No Brasil, a resedá é utilizada amplamente em arborização urbana. Por tratar-se de um arbusto conduzido facilmente reproduzido através de estaqueamento, foi tida como panacéia para o plantio em ruas com fiação elétrica. Como resultado, em algumas cidades esta espécie sozinha representa mais de 20 por cento das árvores em via pública. Assim, apresenta diversas desvantagens, como: grande quantidade de brotações emitidas em resposta a danos pequenos, como os causados por choques em roçada, formando “moitas”; grande suscetibilidade à infestação por ervas-de-passarinho (Loranthaceae) (se cultivada próxima a outras árvores de grande porte suscetíveis, pode atuar como fonte de infestação, aumentando os riscos de acúmulo de ervas em galhos grandes e conseqüentemente facilitando sua queda).

Por tratar-se de uma planta exótica que, além de ocorrer em quantidades excessivas, também não serve de recurso à fauna, seu plantio tem sido desencorajado em planos diretores desenvolvidos para diversas cidades brasileiras.

QUARESMEIRA

A quaresmeira é uma árvore de beleza notável, que encanta por sua elegância e exuberante floração. Seu porte geralmente é pequeno a médio, podendo atingir de 8 a 12 metros de altura. O tronco pode ser simples ou múltiplo, com diâmetro de 30 a 40 cm. As folhas são simples, elípticas, pubescentes, coriáceas, com nervuras longitudinais bem marcadas e margens inteiras. A floração ocorre duas vezes por ano, no outono e na primavera, despontando abundantes flores pentâmeras, simples, com estames longos e corola arroxeada, sendo que na variedade Kathleen estas se apresentam róseas. O fruto é pequeno, indeiscente, marrom, com numerosas sementes minúsculas, dispersadas pelo vento.

Mesmo quando não está em flor, a quaresmeira é ornamental. Sua copa é de cor verde escura, com formato arredondado, e sua folhagem pode ser perene ou semi-decídua, dependendo da variação natural da espécie e do clima em que se encontra. Por suas qualidades, ela é uma das principais árvores utilizadas na arborização urbana no Brasil, podendo ornamentar calçadas, avenidas, praças, parques e jardins em geral. Seu único inconveniente é a relativa fragilidade dos ramos, que podem se quebrar com ventos fortes, provocando acidentes. Com podas de formação e controle, pode-se estimular seu adensamento e mantê-la com porte arbustivo.

Duas das cerca de 50 árvores da espécie

Enquanto funcionários de serviços gerais colocam as árvores de resedá arrancadas na carreta, mudas de quaresmeiras ficam ao lado para depois serem plantadas (Foto: Léo Lima)

As resedás são belíssimas, mas produzem pouca sombra; daí, a necessidade de troca na praça Ramez Tebet (Foto: Google)

As quaresmeiras também são belíssimas e mais encopadas, fazendo muito mais sombra e praças públicas (Foto: Google)

Comentários