13/06/2015 10h36 – Atualizado em 13/06/2015 10h36

O artigo 56 foi alterado para tirar a possibilidade de veto da confederação sobre as decisões dos clubes sobre o Brasileiro.

Da Redação

Ao alterar o seu estatuto, nesta quinta-feira, a CBF determinou que o Conselho Técnico de clubes definirá a fórmula do Brasileiro. E manteve o peso diferenciado de cada voto de acordo com a classificação do campeonato. Assim, os melhores colocados no Nacional terão peso decisivo na escolha se permanecem os pontos corridos ou volta o mata-mata.

O artigo 56 foi alterado para tirar a possibilidade de veto da confederação sobre as decisões dos clubes sobre o Brasileiro. Os times da Série A têm a prerrogativa de definir preços de ingressos, sistema de disputa e regulamento do Nacional.

“A votação é de acordo com o voto qualificado. Esse item foi mantido”, afirmou o Leomar Quintanilha, presidente da Federação de Tocantins, que presidiu a sessão. Ou seja, foram mantidos inalterados os artigos 58 e 59 que tratam das regras do Conselho Técnica.

A fórmula é a seguinte: o campeão do ano anterior tem direito a um voto de peso 20, o vice, 19, o terceiro, 18, e assim sucessivamente. Os quatro times que subiram da Série B têm direito a votos com peso de quatro a um, dependendo de sua posição na Segundona.

Com esse esquema, os seis melhores colocados no Brasileiro terão 105 votos, o que representa metade do colégio eleitoral de 210. Com apenas sete equipes, portanto, é possível derrotar 13 outros times por conta do voto qualificado.

O campeão tem quase 10% do colégio. Ironicamente, isso significa que os clubes com melhor desempenho nos pontos corridos que terão maior peso na decisão sobre uma possível volta do mata-mata.

No artigo 56, ainda está previsto que as decisões do Conselho tem que respeitar as disposições legais. O Estatuto do Torcedor obriga a realização de uma competição em que os clubes saibam todos os seus adversários, o que induz aos pontos corridos. Há uma controvérsia entre advogados sobre se isso impede o fim dos pontos corridos. É certo que barra viradas de mesa.

(*) Uol Esporte

Com esse esquema, os seis melhores colocados no Brasileiro terão 105 votos, o que representa metade do colégio eleitoral de 210. (Foto: Assessoria)

Comentários