09/03/2018 15h22

Mesmo com a modernidade, Três Lagoas rural sobrevive e preserva história

Em meio à era industrial e a modernidade arquitetônica, algumas propriedades antigas ainda sobrevivem no coração de Três Lagoas

Ricardo Ojeda

Quando alguém de fora ouve falar de Três Lagoas, cidade considerada a mais industrializada do Estado, que ostenta o título de Capital Mundial da Celulose, imagina um local cheio de prédios, com arquiteturas modernas, largas avenidas e lindas paisagens. Essa observação e feita pela maioria das pessoas que visita a cidade e se surpreende com as características rurais de alguns bairros.

DESENVOLVIMENTO

Com a instalação de várias indústrias, principalmente a de celulose, Três Lagoas teve um crescimento acentuado, modernos prédios foram construídos, vários loteamentos e até condomínios fechados. Num intervalo de aproximadamente 10 anos surgiram mais de seis desses loteamentos exclusivos para família de alta renda. O que alimenta esses empreendimentos são as pessoas que chegam à cidade investem no setor imobiliário, dando novo aspecto nas edificações.

A reportagem registrou vários imagens que nos remetem a dinâmica Três Lagoas rural, como podem ser vistas na galeria

(Foto: Ricardo Ojeda)

NOSTALGIA

Mas, por outro lado, se andarmos em alguns pontos da cidade, parece que o tempo não passou, a nostalgia permanece, enquanto a paisagem nos remete a uma propriedade rural, como se estivéssemos em uma fazenda. Nos jardins das Oliveiras, por exemplo, no coração de Três Lagoas tem uma área de mais de 70 mil metros quadrados, a chácara Carrato. Na propriedade, que pertence a um médico tem algumas vacas, que produz leite, galinhas caipiras, frutas, etc. Tudo isso próximo à escola Funlec e das moderníssimas instalações do Instituto Biomassa e do Novo SESI. Um pouco a frente, já quase próximo à Lagoa Maior, podemos encontrar uma horta que produz todo tipo de hortaliças que são comercializadas no local.

Para complementar essa nostalgia, algumas casas e prédios construídos durante a chegada da Noroeste do Brasil estão localizadas próximas a esses locais. A arquitetura desses imóveis apresenta o padrão de algumas décadas e com isso nos remete ao passado, época que acontecia feira do gado um dos primeiros ciclos de desenvolvimento do município.

Nesta galeria vários registros dos imoveis da antiga Noroeste do Brasil, localizado há poucos metros do centro de Três Lagaos, como podem ser vistas na galeria

(Foto: Ricardo Ojeda)

APAGANDO O PASSADO

Infelizmente esses prédios não passam por nenhuma restauração, como isso, o tempo vai, aos poucos deteriorando, apagando o passado da cidade, que teve vários ciclos de desenvolvimento, saindo da capital do gado nelore, para a Capital Mundial da Celulose.

Felizmente, devido à “teimosia” das fortes estruturas dos imóveis, como também de algumas pessoas que não foram seduzidas pelas tentadoras propostas dos agentes imobiliários, ainda é possível encontrar uma cidade rural, no coração da dinâmica Três Lagoas industrial.

Três Lagoas aos 102 anos lidera ranking da industrialização de Mato Grosso do Sul, porém sua características rural permanece nas ruas e em alguns bairros (Foto: Ricardo Ojeda)

Distante a uns 200 metros da Lagoa Maior, ao meio ao mato e plantação de mandioca, casa de madeira considerada de alto padrão na época que foi construída ainda está de pé sobrevivendo ao tempo que nos remete ao passado de várias décadas (Foto: Ricardo Ojeda)

A arquitetura do imóvel é impecável e remonta várias décadas, como se estivesse aguardando uma restauração (Foto: Ricardo Ojeda)

Porteira de uma propriedade rural localizado no coração da cidade (Foto: Ricardo Ojeda)

Com a chegada das  indústrias surgiram edificações modernas em contraste com as de outrora, porém convivem em harmonia (Foto: Ricardo Ojeda)

Prédio construído há anos, o edifício Diplomata chegou antes do

Comentários