06/09/2017 14h17

Impostômetro registra aumento na arrecadação nacional, estadual e municipal. Três Lagoas é a cidade que mais cresceu no Estado.

Ygor Andrade

Uma das principais reclamações do brasileiro sempre foi o alto valor destinado aos impostos. Praticamente todos os produtos comercializados no país, possuem altas taxas de impostos, que são embutidos em seus valores e repassados ao consumidor final.

O impostômetro é um mecanismo de contagem em tempo real, que mostra quanto o país, seus Estados e Municípios já arrecadaram. É possível, por exemplo, realizar alguns comparativos entre períodos e analisar quanto os números variaram.

O Perfil News traçou um comparativo entre 2016 e 2017 no período de 1º de janeiro e o dia 31 de agosto. É importante ressaltar que os comparativos foram feitos com dados obtidos pelo site do Impostômetro e cruzados somente entre os períodos mencionados.

O Brasil, por exemplo, havia arrecadado R$1.308.939.207.113,76 (um trilhão, trezentos e oito bilhões, novecentos e trinta e nove milhões, duzentos e sete mil, cento e treze reais e setenta e seis centavos) em impostos em 2016. Já no mesmo período em 2017, houve um aumento 8,76%, em que fora arrecadado R$1.423.625.702.578,45 (um trilhão, quatrocentos e vinte e três bilhões, seiscentos e vinte e cinto milhões, setecentos e dois mil, quinhentos e setenta e oito reais e quarenta e cinco centavos). No momento do fechamento desta matéria, o total de 2017 havia sido de R$1.454.666.039.788,15 (Um trilhão, quatrocentos e cinquenta e quatro bilhões, seiscentos e sessenta e seis milhões, trinta e nove mil, setecentos e oitenta e oito reais e quinze centavos). Para quem quiser acompanhar quanto o impostômetro já registrou basta clicar aqui.

A ferramenta, que é de livre acesso na internet, traça também gráficos de dias trabalhados para que o brasileiro pague seus impostos. De acordo com o site, o contribuinte trabalha em média 153 dias para conseguir quitar seus débitos com o Governo Federal. Em 2010, os dias contabilizados para isso, eram de 148.

O ESTADO

No Estado do Mato Grosso do Sul, por exemplo, os valores saltaram de R$12.610.728.048,54 (doze bilhões, seiscentos e dez milhões, setecentos e vinte e oito mil, e quarenta e oito reais e cinquenta e quatro centavos) para R$14.030.741.098,45 (quatorze bilhões, trinta milhões, setecentos e quarenta e um mil e noventa e oito reais e quarenta e cinco centavos), contabilizando um aumento de 11,26%.

CIDADES QUE CRESCEM

As cinco maiores cidades do Mato Grosso do Sul, por exemplo, também tiveram aumentos significativos em suas arrecadações. Campo Grande (10,34%), Dourados (11,27%), Três Lagoas (12,16%), Corumbá (10,10%) e Ponta Porã (10,09%).

Mesmo sendo a Capital do Estado, Campo Grande ficou com a terceira posição, saindo de uma arrecadação de R$596.402.525,21 (Quinhentos e noventa e seis milhões, quatrocentos e dois mil, quinhentos e vinte e cinco reais e vinte e um centavos) para R$658.042.964,93 (Seiscentos e cinquenta e oito milhões, quarenta e dois mil, novecentos e sessenta e quatro reais e noventa e três centavos).

No entanto, Três Lagoas segue como a cidade que mais cresce no Estado do Mato Grosso do Sul, ao todo (lembrando que o comparativo é proporcional aos valores arrecadados), a cidade teve um crescimento de 12,16%, ou, R$73.842.171,77 (Setenta e três milhões, oitocentos e quarenta e dois mil, cento e setenta e um reais e setenta e sete centavos), para R$82.822.615,30 (Oitenta e dois milhões, oitocentos e vinte e dois mil, seiscentos e quinze reais e trinta centavos).

QUEDA PREVISÍVEL

Contudo, Três Lagoas pode passar por um período extremamente complicado, tendo em vista que as grandes obras nas grandes industrias da cidade já foram finalizadas. A única obra que pode ser considerada de relevância municipal, é a construção do Hospital Regional.

O baque ainda não foi sentido, graças aos acertos financeiros feitos com os trabalhadores, porém, muitos desses já devem estar voltando para suas cidades de origem, diminuindo ainda mais a circulação de dinheiro na cidade.

INVESTIMENTOS

Básica e teoricamente, todos os valores arrecadados devem ser investidos serviços como recape de ruas, saneamento básico, Saúde para que a União consiga manter sua eficiência, além de programas de geração de emprego, inclusão social (plano de reforma agrária ou crédito rural para a expansão da agricultura familiar, por exemplo).

Estes valores vão para uma única conta e tudo isso entra como receita para o governo que deve utilizar tais valores de acordo com o estabelecido no orçamento anual, no plano plurianual e nas diretrizes orçamentárias.

Mesmo na crise, Brasil bate recordes de arrecadação. (Foto: Site Impostômetro)

No fechamento desta matéria, MS registrava mais de 14 bilhões em arrecadação de impostos. (Foto: Perfil News).

Três Lagoas foi a cidade que mais cresceu no Mato Grosso do Sul. Trabalhadores devem deixar a cidade para retornar para suas casas. (Foto: Ricardo Ojeda/Perfil News)

Comentários