22/12/2012 10h20 – Atualizado em 22/12/2012 10h20

Serão capacitados 207 profissionais em todo país para aprimorar o uso de novas tecnologias na confecção e adaptação de órteses e próteses

Cristina Gumiero, Agência Saúde

O Ministério da Saúde firmou nesta sexta-feira (21) parceria com a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) para a realização de um curso de capacitação de ortesistas e protesistas. A capacitação dos profissionais faz parte das metas do Programa Viver Sem Limite.

Durante a solenidade de assinatura da parceria, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, explicou que a cooperação vai beneficiar os profissionais que trabalham com órteses e próteses, sobretudo, das regiões Norte e Nordeste. “Estamos firmando esta parceria com a AACD de São Paulo, que é líder em qualidade e capacidade, para treinar esses profissionais e atender melhor as pessoas que vivem nessas regiões”, ressaltou o ministro.

O objetivo da parceria é capacitar 207 profissionais em todo país, aprimorando o uso de novas tecnologias na confecção e adaptação de órteses e próteses. Para isso, o Ministério da Saúde vai liberar R$ 348 mil, a partir do início de 2013.

A AACD é uma entidade parceira na implementação da nova política e tem assento no Comitê Nacional de Apoio e Assessoramento das Ações de Saúde do Plano Nacional de Direitos da Pessoa com Deficiência, compondo, de forma bastante ativa, o Grupo de Trabalho de Reabilitação Física. “Outra ação importante é a habilitação da oficina da AACD. Com essa habilitação, a entidade passa a receber mais recursos, podendo formar profissionais de fora e também atender melhor os pacientes que procuram a AACD”, observou o ministro.

Em 2011, foi repassado à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo a quantia de R$ 5 milhões a ser utilizada pela AACD de São Paulo para zerar a fila de concessão e adaptação de cadeira de rodas.

A entidade também colaborou com o Ministério da Saúde – por meio do Plano Viver Sem Limite – da elaboração das Diretrizes de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência; de Atenção à Saúde da Pessoa com Síndrome de Down e da Atenção à Pessoa com Lesão Medular, todas publicadas recentemente pelo Ministério da Saúde.

VIVER SEM LIMITE

Lançado em novembro de 2011, o Programa Viver Sem Limite tem como o objetivo ampliar o acesso e a qualificação do atendimento às pessoas com deficiência, permanente ou temporário, no Sistema Único de Saúde (SUS) com foco na organização do cuidado. Neste ano, já foram investidos R$ 891 milhões para expandir e aprimorar o programa.

O Viver sem Limites possui quatro eixos de atuação: acesso à educação, atenção à saúde, inclusão social e acessibilidade. Entre as ações, está a criação de Centros Especializados em Reabilitação (CER).

Comentários