26.2 C
Três Lagoas
domingo, 26 de setembro, 2021
InícioNotíciasMinistério Público vai à Justiça contra decretos de Três Lagoas e cinco...

Ministério Público vai à Justiça contra decretos de Três Lagoas e cinco cidades que desobedeceram a decreto estadual

Os Municípios de, Deodápolis, Fátima do Sul, Alcinópolis, Três Lagoas, Campo Grande e Ponta Porã editaram decretos incompatíveis com as medidas restritivas fixadas no Decreto Estadual nº 15.693, de 9 de junho de 2021, publicado no Diário Oficial Eletrônico nº 10.532, de 10 de junho de 2021, que “Institui medida restritiva e temporária voltada ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do coronavírus no território do Estado de Mato Grosso do Sul, e dá outras providências”

Em apoio ao decreto municipal que contrario as determinações do Prosseguir, entidades representativas da classe empresarial de Três Lagoas promoveram uma grande carreata no dia do aniversário do município, saindo da praça Ramez Tebet e seguiram ao Hospital Regional, onde foi feita um abraço simbólico devido o atraso para a conclusão da unidade hospitalar (Foto: Ricardo Ojeda)

O Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, Alexandre Magno Benites de Lacerda, reuniu-se, nesta semana, com representantes municipais e estaduais do Poder Executivo, com a Defensoria Pública-Geral, Procuradoria-Geral do Estado, OAB/MS e Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), para discutir não só os decretos eventualmente conflitantes, mas também para construir um diálogo que visa estabelecer uma atuação uníssona de regras à sociedade no combate à propagação da covid-19.

O Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, Alexandre Magno Benites de Lacerda, reuniu-se, nesta semana com várias autoridades do estado para discutir o assunto (Foto: Assessoria de Comunicação)

Como não foi possível a construção de um consenso, o Governo do Estado encaminhou ao Ministério Público Estadual, nesta quinta-feira (17/6), as justificativas apresentadas pelos Municípios de Campo Grande, Deodápolis, Fátima do Sul, Alcinópolis, Três Lagoas e Ponta Porã, e as decisões da Ses (Secretaria Estadual de Saúde) de não acatamento.

MISSÃO CONSTITUCIONAL

Diante disso, o MPMS, em cumprimento a sua missão constitucional e, em consonância com as decisões do Supremo Tribunal Federal, protocolizou Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs), requerendo, liminarmente, a realização de audiência visando à oitiva das autoridades que editaram os decretos em tela (Estado e Municípios) e à tentativa de conciliação, a ser realizada com a maior brevidade possível,  a fim de dirimir as divergências dos decretos sanitários e prevenir novos conflitos semelhantes.

Se a Justiça acatar as ações do Ministério Público, situação como essa na foto deverá ser obedecida pelos comerciantes de Três Lagoas e de mais 5 municípios que não acataram as determinações do Decreto Estadual (Foto: Ricardo Ojeda)

Nas ações, o Procurador-Geral de Justiça do MPMS ressalta que: “A relevância pública do presente tema não se limita ao descumprimento, nesta semana, do decreto estadual, uma vez que o problema poderá se repetir nas próximas edições regulamentares do Prosseguir, com potencial multiplicador de demandas desse jaez. Por isto, fundamental a construção de uma solução definitiva do problema, com a atuação proativa desse Colendo Órgão Especial, que poderá ser consolidada na audiência objeto deste pedido de liminar, sem prejuízo do julgamento do mérito da presente ação”.

Texto: Procuradoria-Geral de Justiça – editado por Ana Paula Leite/Jornalista Assecom MPMS

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Comentários
error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.