17/04/2013 09h05 – Atualizado em 17/04/2013 09h05

A exigência do Plano Nacional de Resíduos Sólidos prevê obrigatoriedade de que até agosto de 2014 todos os municípios deverão estar com seus aterros sanitários construídos

Da Redação

O Ministério das Cidades vai treinar técnicos dos municípios e dos consórcios formados para construir aterros sanitários em substituição aos lixões em Mato Grosso do Sul. O treinamento está previsto para os dias 22 e 23 de maio, em Campo Grande.

A informação foi dada nesta terça-feira (16) ao senador Waldemir Moka, que à tarde se reuniu com os prefeitos de Jardim e Bonito, em seu gabinete em Brasília, para tratar das exigências da legislação sobre resíduos sólidos.

Articulada por Moka, a série de audiências e reuniões de trabalho entre prefeitos do Mato Grosso do Sul e dirigentes e técnicos do governo federal contribui para apressar os planos municipais e intermunicipais de saneamento básico e recursos hídricos locais.

O problema é a exigência estabelecida pelo Plano Nacional de Resíduos Sólidos que prevê a obrigatoriedade de que até agosto de 2014 todos os municípios do país deverão estar com seus aterros sanitários construídos.

“A partir de agosto de 2014 o município que não houver construído o seu aterro sanitário, isoladamente ou em forma de consórcio, não terá mais acesso a verbas federais. A preocupação é grande”, revela o prefeito de Jardim, Marcelo Henrique de Mello, que preside o Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Integrado das Bacias do Rio Miranda e Apa.

O prefeito de Bonito, Leonel Lemos de Souza Brito, o Leleco, diz que a ida de técnicos do governo federal a Mato Grosso do Sul vai ajudar os municípios a desenvolver mais rapidamente os planos exigidos pela Lei Nacional de Resíduos Sólidos.

(*) Com informações de Assessoria de Comunicação

Moka e os prefeitos de Jardim e Bonito discutem planos sobre resíduos sólidos (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários