09/06/2017 11h28

Estado terá novas unidades de piscicultura. Empresas receberam ontem (8) um termo de cessão por 20 anos de cinco áreas aquíferas do Rio Paraná

Lucas Gustavo, com informações

Daqui 60 dias, provavelmente, o ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, deve vir a região inaugurar a pedra fundamental para a ampliação novas unidades de piscicultura em Mato Grosso do Sul. A empresa GeneSeas vai expandir seu complexo de processamento de pescados em Aparecida do Taboado e a Tilabras instalar uma linha produção de tilápia em Selvíria. A informação foi repassada pelo chefe de Gabinete do Ministério da Agricultura, Coaraci Nogueira de Castilho, que tem agilizado a agenda do ministro em relação aos pleitos do governo de MS.

Tanto a GeneSeas como a Tilabras receberam ontem (8), do Governo Federal, um termo de cessão por 20 anos de cinco áreas aquíferas do Rio Paraná. Os novos empreendimentos, de acordo com o Ministério, vão produzir 112 mil toneladas de tilápia anualmente. O valor corresponde a cerca de 20% da produção total da aquicultura do País, 574 toneladas.

O Ministério considera que, por conta das novas unidades de piscicultura, Selviria e Aprecida do Taboado vão contribuir para a elevação do balanço da exportação brasileira. Além disso, a previsão é que os complexos gerem 3.400 empregos diretos na região; o faturamento anual deve passar dos R$ 425 milhões.

Conforme o Ministério, Mato Grosso do Sul é, hoje, é o terceiro do Brasil que mais produz pescados. A expectativa, agora, é que com as novas unidades em operação, o estado lidere esse ranking e aumente, inclusive, a participação no mercado mundial do setor.

Em solenidade no gabinete do ministro Blairo Maggi ocorrida na manhã de ontem foi assinada o termo de cessão de áreas aquícolas na região do Bolsão de MS (Foto: Assessoria)

Juntos com secretário de Estado, prefeitos, assessores e parlamentares, o ministro Blairo Maggi posou exibindo o documento de cessão à empresa (Foto: Assessoria)

No total serão investidos R$ 150 milhões que vai  incluir a  fábrica de ração e produção de alevinos  (Foto: Edemir Rodrigues/ Notícias MS)

Comentários