Williams Araújo

Minucioso

Pelo cuidado que está tendo com a transição no governo, o governador eleito Reinaldo Azambuja (PSDB) não quer iniciar sua administração com nenhum tipo de problema. Sua equipe deve fazer uma varredura em cada secretaria e levantar os problemas que porventura existam.

Um detalhe muito importante e que acontece pela primeira em uma troca de governo é a presença de representantes do MPE e PPF, órgãos fiscalizadores das esferas estadual e federal.

Delineado

Mesmo tendo garantido que não anunciaria seu secretariado antes do tempo, Reinaldo Azambuja acabou se traindo ao deixar escapar alguns nomes da sua futura equipe.

Entre eles estão Rose Modesto (PSDB), que deve comandar a pasta do Trabalho e Ação Social; Márcio Monteiro(PSDB), para a Fazenda, Eduardo Riedel, para a Casa Civil, Ednei Marcelo Miglioli para a secretaria de Obras Públicas e Zé Teixeira (DEM), que deve tocar a pasta do agronegócio.

Crise

É certo que Gilmar Olarte (PP) já pegou a prefeitura da Capital cheia de problemas e, o pior, na maior turbulência por conta dos episódios que culminaram com o processo de cassação do prefeito Alcides Bernal (PP). Agora, parece que a lua de mel entre o atual gestor e a classe política acabou.

Não é à toa que o deputado estadual Pedro Kemp (PT) ocupou a tribuna da Assembleia para cobrar explicações.

Trombone

Abras paralisadas, aumento de impostos e o não cumprimento do reajuste salarial dos professores são alguns dos problemas levantados por Kemp na sessão ordinária da última terça-feira.

“O que está acontecendo com a prefeitura municipal de Campo Grande? Os compromissos não estão sendo honrados e a população sentirá o peso no bolso dos aumentos abusivos dos impostos e transporte coletivo”, disparou o petista.

Contas

Por causa dessa situação, Pedro Kemp sugeriu que o prefeito Gilmar Olarte faça uma prestação de contas.

“É preciso informar o que aconteceu nesses últimos anos. A prefeitura de Campo Grande sempre foi superavitária e agora, pelo o que tudo indica, está falida. Infelizmente, o município chegou a perder convênios, pois não conseguiu executar alguns projetos, como os de mobilidade urbana. A situação é triste”, concluiu o petista.

Comentários