24/05/2019 14h56

Bêbado, homem mantinha o som alto à 1h30 da manhã e dizia que “ainda nem era dez horas”; xingou os policiais e, protegido pelas grades da própria casa, dizia que “não teria autoridade que fizesse ir até a delegacia”

Gisele Berto

Deu ruim para um morador do Jardim Alvorada que tocou o terror na vizinhança na madrugada desta sexta-feira.

Denunciado por um vizinho, o homem, de 44 anos, mantinha o som no último volume à 1h30 da manhã. Segundo testemunhas, desde que ele se mudou para a vizinhança estava dando trabalho e já colecionava boletins de ocorrência contra ele por importunação.

Quando a polícia chegou à casa, logo percebeu que as reclamações eram justificadas e que, de fato, o som estava muito alto. O policial chamou o homem e pediu para que ele baixasse o volume do som.

Embriagado, o homem disse que “estava na casa dele” e que “ainda não era dez horas”. Afirmou que estava só “curtindo uma música sertaneja”. No entanto, no momento da abordagem, ele mudou o ritmo da música para Rap e começou a cantar Vida Loka junto com os Racionais MC’s.

PRIMO DE TERCEIRO GRAU DO CORONEL TELHADA

Empolgado, começou a dizer que iria tirar as fardas dos policiais e a se referir a eles como “gambés”, “porco policial”, “polícia verme”, “policial coxinha”, ratos, porcos fardados, p**** do Estado e outras “amenidades”.

Além disso, falava que era primo de terceiro grau do Coronel Telhada e que, por isso, não ia diminuir o som, nem com a presença da guarnição. Pelo contrário, aumentou ainda mais o volume.

Protegido atrás das grades do portão, o sujeito ficou do lado de dentro da casa. A polícia, então, precisou cortar o cadeado para ter acesso à área interna. Depois de muito falar, os policiais ordenaram que ele ficasse em posição para revista pessoal – e novamente não foram obedecidos.

O homem, então, fugiu e se trancou dentro de casa. Foi necessário arrombar a porta para alcançá-lo e dar voz de prisão.

Não satisfeito com o tamanho da encrenca em que se enfiara, o homem ainda disse, em tom de deboche, que “não tinha autoridade que o fizesse ir até a delegacia”.

O sujeito foi encaminhado à Depac, onde foi apresentado em visível estado de embriaguez. Ele responderá pelos crimes de Resistência, Desobediência, Desacato e Perturbação do Sossego Alheio.

Comentários