30/08/2017 09h59

Ponte que liga as cidades de Três Lagoas (MS) e Castilho (SP), não tem fiscalização, possibilitando que motoristas arrisquem e realizem manobras irregulares.

Ygor Andrade

A divisa entre os Estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo, antes da construção da nova ponte que liga os dois lados do Rio Paraná, era considera, até certo nível, bem vigiada e fiscalizada, entretanto, depois que as obras foram concluídas, o posto da Polícia Rodoviária Federal deixou de funcionar, aumentando, por exemplo, o número de infrações de trânsito aumentou de maneira visível.

Na manhã da última terça-feira, 29, a equipe do Perfil News flagrou um caminhão que trafegava sentido MS, há mais de 110 km/h, 40 quilômetros a mais do limite máximo permitido. Pouco tempo depois, o mesmo caminhão apresentava problemas com a placa de sinalização, pregada na parte de trás da carroceria e, mesmo sendo avisado com sinais de luz de que algo estava errado, o motorista continuava acelerando o veículo.

INFRAÇÕES CONSTANTES

Além dessas infrações de velocidade, outras como, ultrapassagem em locais proíbidos, trafegar em duas faixas e trafegar abaixo do limite de velocidade também são constantemente vistas por quem utiliza o acesso.

MULTAS

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o motorista que for flagrado em ultrapassagem proibida (em faixa continua), ou acima do limite de velocidade, será autuado com multa de até R$ 1.467,35, e R$ 880,41 respectivamente além de 7 pontos por CNH.

Na foto caminhão trafega com placa quase caindo, levando riscos a outros motoristas.. (Foto: Lucas Gustavo/Perfil News)

Comentários