15/02/2012 08h26 – Atualizado em 15/02/2012 08h26

Workshop Mais Floresta inicia atividades de 2012 na cidade de Bataguassu

Assessoria de Comunicação

Mato Grosso do Sul terá 11 eventos florestais no primeiro semestre de 2012. O Estado que iniciou o ano com cerca de 500 mil hectares de área plantada, registra aumento de 338% no período de seis anos, segundo a Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas – Reflore/MS. Com isso, instituições se voltam para a região, buscando novas alternativas de rentabilidade ao produtor e de acréscimos da economia local, além de incrementar as alternativas já existentes, por meio de reuniões, workshops, câmara setorial e formação de mão de obra.

O Senar/MS que passou por nove municípios no ano passado, possui agenda programada para mais dez cidades no primeiro semestre desse ano, com o programa “Mais Floresta”. Em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária de MS – Famasul desejam atingir 900 pessoas no interior do Estado, com o workshop, que será realizado na próxima quinta-feira (16), em Bataguassu, das 8h as 17h30, no Sindicato Rural da cidade.

Além disso, dois eventos florestais acontecerão na cidade de Três Lagoas no mês de abril: uma reunião da Câmara Setorial de Florestas Plantadas – iniciativa do Ministério da Agricultura, em parceria com Confederação Nacional da Agricultura – CNA, planejada para o dia 10; e “Três Lagoas Florestal” – primeira feira da cadeia produtiva da indústria de base florestal, agendada para acontecer entre os dias 10 e 13 do mesmo mês.

Em 2012, a sugestão do presidente do Conselho Administrativo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar/MS, Ademar Silva Júnior, foi acatada ao sugerir Três Lagoas como sede da reunião. “MS torna-se potência em plantação, geração de emprego e lucratividade. O cenário favorece a criação de florestas e discute melhorias para o setor,” diz o presidente, referindo-se à produção de Três Lagoas.

O integrante da Comissão Nacional de Silvicultura da CNA e consultor técnico florestal de empresas do Brasil e do exterior, Laércio Couto, marcará presença na reunião de Três Lagoas junto à Camila Soares Braga, também integrante Comissão, que visitou MS com intuito de familiarizar-se com dados do setor na região, e visualizar o atual cenário de perto. “Não é à toa que temos o desenvolvimento de três programas florestais em MS, que já pode ser considerado um dos Estados de maior relevância quanto à produção de madeira; seja para carvão, celulose ou indústria moveleira”.

MAIS FLORESTA

O programa faz parte do Plano para o Desenvolvimento Sustentável de Florestas Plantadas, que define estratégias para o desenvolvimento florestal em Mato Grosso do Sul e prevê o plantio de 1 milhão de hectamares de florestas até 2030, nas cidades da região nordeste do Estado que possuem alta demanda de matéria-prima para a indústria florestal, como a celulose e o papel.

O Mais Floresta é realizado pelo Senar/MS em parceria com Famasul, e conta com apoio do Painel Florestal, Cautex Florestal, Banco do Brasil, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE, Reflore MS, Sebrae/MS, Sociedade Brasileira de Agrossilvicultura-SBAG e Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD. As próximas cidades a receberem o Mais Floresta são: Chapadão do Sul, Costa Rica, Figueirão, Pedro Gomes, Sonora, Nova Andradina, Aparecida do Taboado e Cassilândia.

Sobre o Senar – O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar é uma instituição mantida pela classe patronal rural, vinculada à Confederação da Agriculturae Pecuária do Brasil – CNA. Tem o objetivo de desenvolver ações educativas, que visam o desenvolvimento do homem rural como cidadão e como trabalhador, numa perspectiva de crescimento e bem-estar social.

O Senar está presente em todos os municípios de Mato Grosso doSul, atuando em parceria com os 68 sindicatos rurais e desenvolvendo iniciativas de educação, informação e conhecimento em agronegócio. O trabalho é desenvolvido a partir da missão de contribuir com o setor agropecuário, um dos mais importantes vetores da economia do Estado.

INFORMAÇÕES

Para mais informações, acesse: www.senarms.org.br e http://www.famasul.com.br/.

Comentários