27/12/2012 08h54 – Atualizado em 27/12/2012 08h54

Volume, ainda parcial, já é 7,66% maior que de todo o ciclo passado.Das 22 usinas do estado, seis ainda continuam a moagem de cana.

Da Redação

As usinas sucroenergéticas de Mato Grosso do Sul moeram até o dia 15 de dezembro, 36,4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2012/2013. O volume, mesmo com o processamento ainda em andamento, já é 7,66% maior do que o registrado em todo o ciclo 2011/2012, quando foram moídas 33,8 milhões de toneladas.

Os dados são da Associação dos Produtores de Bioenergia do estado (Biosul), que aponta ainda que das 22 usinas em atividade no estado, 6 plantas, o equivalente a 27,2%, ainda continuam a moagem. A projeção do presidente da entidade, Roberto Hollanda Filho, é que as indústrias que estão estendendo a safra concluam o processamento ainda este ano.

Ao analisar o desempenho do setor em 2012, Hollanda ressaltou como aspectos positivos a produção recorde de cana (que supera o volume histórico atingido na safra passada), o crescimento do segmento como um todo e também o início do processo de recuperação da produtividade agrícola dos canaviais.

“Nossa média de produtividade no estado é de 85 toneladas por hectare, mas no ciclo passado chegamos a 70 toneladas por hectare. Neste ano, deveremos fechar em torno das 72 toneladas por hectare. Ainda está longe do ideal, mas já estamos gradativamente recuperando essa produtividade”, aponta.

Como aspecto negativo, Hollanda cita novamente os efeitos do clima sobre a safra. “Nos últimos três anos o setor sofreu muito com as variações climáticas. Neste ano, choveu muito entre abril e junho, o que dificultou a moagem nesse período e provocou uma pequena frustração de safra, porque esperávamos moer neste ciclo 38,6 milhões de toneladas de cana”, comenta.

AÇÚCAR E ETANOL

Com processamento recorde de matéria-prima o estado também já supera os patamares históricos de produção de açúcar e etanol. A fabricação do alimento cresceu até a primeira quinzena de dezembro 8,69% em comparação com todo o ciclo passado, saltando de 1,588 milhão de toneladas para 1,726 milhão de toneladas.

Já a produção do biocombustível teve um incremento ainda mais expressivo, 14,22% na parcial da safra 2012/2013 frente a totalidade do ciclo 2011/2012, passando de 1,632 bilhão de litros para 1,864 bilhão de litros.

O mix de produção, ou seja, a quantidade de cana que é destinada para a fabricação de cada produto, sofreu uma pequena variação positiva para o etanol, passou de 62,6% no ciclo passado para 63,7% no atual. Já o do açúcar caiu de 37,3% para 36,2% na comparação das duas safras.

Para 2013, o presidente da Biosul projeta a continuidade do crescimento do setor em Mato Grosso do Sul com a ampliação da capacidade das plantas já instaladas e também com a inauguração de duas novas usinas. Para atender esse crescimento um dos principais focos da entidade será com a continuidade das parcerias feitas com outras instituições e com os município para oferecer capacitação de mão de obra.

Em âmbito nacional, Hollanda diz que o setor poderia crescer mais se houvessem políticas públicas para nortear esse desenvolvimento, com a implementação de algumas medidas pontuais, como, por exemplo, o retorno da mistura de 25% de etanol anidro a gasolina.

(*) Com informações do G1 MS

Comentários