Homem estava internado em São Paulo e morreu em 1 de maio; após notícia de que MS é o que tem o menor número de contaminados no Brasil pacientes de outros estados começam a chegar para se tratar aqui

Com 20 novos casos registrados entre ontem e hoje, o Mato Grosso do Sul alcançou o número de 405 casos confirmados de Covid-19.

Desses, nove são de Guia Lopes da Laguna e Jardim, região que desperta maior preocupação do Governo do Estado no momento. Guia Lopes é uma das cidades com a maior incidência de Covid-19 do país, com 394 casos para cada 100 mil habitantes.

O Estado registrou, ainda, mais uma morte, chegando a 12 óbitos no total. A vítima era um homem, de 62 anos, que estava internado em São Paulo. Ele morava em Vicentina e morreu no dia 1 de maio, mas a confirmação para o Governo do Estado só chegou agora.

De acordo com a Secretária Adjunta, dra. Crhystinne Maymone, a época do ano começa a ser propícia para casos de gripes, o que preocupa a equipe. “Estamos começando a 20ª semana epidemiológica. É, tradicionalmente, um período mais frio, onde aumenta a circulação dos vírus da gripe”, afirmou.

Situação dos casos confirmados

Dezenove pessoas estão internadas, em tratamento de Covid-19, em Mato Grosso do Sul. Dessas, duas são de outros estados e uma de outro país. Onze estão em leitos de UTI, sendo que duas dessas pessoas são de São Paulo. Confira o boletim completo aqui.

Pacientes de outros estados

Com a divulgação, via Ministério da Saúde, de que o Mato Grosso do Sul é o Estado da Federação com o menor número de casos confirmados e de óbitos, e com a melhor situação em relação a leitos de UTI, pacientes de outras regiões começam a procurar as unidades do Estado em busca de tratamento.

“Hoje recebemos a informação de que dois pacientes chegaram, sem comunicação prévia, de Pará e Goiás. Estão sendo atendidos em Paranaíba”, informou o Secretário de Saúde, Geraldo Resende. “Isso mostra o acerto de Mato Grosso do Sul, porque naquele município não havia, até poucos dias atrás, leitos de UTI. Em parceria com o município colocamos 10 leitos e hoje estão sendo ocupados por esses pacientes de outros estados”, afirmou.

Medidas de isolamento social

Questionado sobre o fato do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que reúne 27 secretários, ter rechaçado um documento encaminhado pelo Ministério da Saúde, estipulando passos para começar o relaxamento das medidas de isolamento social, Resende afirmou que o Conass entende que é importante manter a política de isolamento social, tendo em vista a escalada dos números da doença e o Ministério da Saúde encaminhou uma proposta de afrouxamento das medidas de isolamento social.

“Há um entendimento, através da nossa diretoria executiva, que haveremos de poder rediscutir esse documento para que haja a aprovação do Conass e do Conasems (dos Secretários Municipais de Saúde)”, afirmou Resende.

“Nós não queremos ser coadjuvantes, nós queremos definir claramente a política de enfrentamento ao coronavírus no país. Esperamos que haja modificações no documento para que nós tenhamos um comando único no país e não tenhamos somente uma visão que pode levar ao crescimento e aprofundamento da crise do coronavírus no país”, completou.

Comentários