16/03/2018 17h54

Odilon passou por Três Lagoas e durante dois dias se reuniu com lideranças políticas da região, participou da cerimônia de filiação de novos militantes ao PDT e reuniu-se com produtores rurais

Ricardo Ojeda e Viviane Pinheiro

O pré- candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, Odilon de Oliveira, recebeu na manhã de hoje (16) a equipe de reportagem do Perfil News, no Taj Hotel, em Três Lagoas.

Oliveira está na cidade desde ontem (15), para compromissos políticos. Neste segundo dia, houve solenidade de filiação de lideranças políticas no salão de convenções do hotel.

Durante passagem por Três Lagoas, Odilon visitou alguns órgãos de comunicação e a classe de produtores rurais. De acordo com o pré-candidato, todas as reuniões e encontros realizados no município foram bem proveitosos e, após visita, a equipe se deslocou para Campo Grande.

Em entrevista ao Perfil News*, o juiz afirmou que a região do “Bolsão” vai merecer atenção não apenas nesse momento, mas durante todo o desenvolvimento da pré-campanha.

HISTÓRICO

Odilon de Oliveira foi responsável pela prisão de Luiz Fernando da Costa (Fernandinho Beira-Mar), um dos maiores traficantes do Brasil, além de confiscos de bens e propriedades rurais.

Devido a sua atuação quando juiz, ele colecionou uma legião de inimigos, principalmente do narcotráfico, onde confiscou 282 imóveis do crime, 761 veículos e 27 aeronaves – parte deles vendida em leilões por um total de R$ 27 milhões. Por conta disso, ele recebeu várias ameaças de morte e há mais de 18 anos perdeu sua intimidade, pois é acompanhado 24 horas por dia, por agentes armados da Polícia Federal. Um dos traficantes condenados pelo Juiz é o Fernandinho Beira Mar.

Segundo estimativa da Justiça, só em vendas dos leilões e confiscos em dinheiro do crime organizado, atinge mais de R$ 2 bilhões. Nas palavras do Odilon de Oliveira, em uma entrevista lembrou-se de um caso onde sentenciou um traficante, confiscando um conjunto residencial fechado inteiro, com nove sobrados, um avião e mais três mansões.

PROPOSTA POLÍTICA

Questionado sobre a entrada no meio político, o pré-candidato falou sobre a decisão. “Em primeiro lugar, a gente tem que atacar a criminalidade organizada também na corrupção que é muito grande no país. Completei 55 anos de trabalho e ao me aposentar recebi convites de diversos partidos políticos, examinei e aceitei a proposta do PDT. O que me faz ir para a política é exatamente a vontade de continuar servindo a população brasileira”, afirmou.

SEM FICHA SUJA

Depois aceitar a proposta do partido, Odilon deixou bem claro a forma de agir e de pensar. “Eu não quero ministrar com corrupto. Passei a vida inteira combatendo a criminalidade organizada e a corrupção. Seria uma negação com o meu passado, caso isso ocorresse”, disse.

Ele ainda ressaltou que serão aceitos apenas pré-candidatos que não fizeram “sujeira” com a vida passada. “Nós estamos trazendo muitas pessoas que não são políticos, um exemplo disso é o pré- candidato ao senado, Chico Maia, que se afastou desse meio há 30 anos”, ressaltou.

SEGURANÇA EM TRÊS LAGOAS

O município que é um polo industrial recebe pessoas de várias regiões do país, porém, sofre com alguns aspectos negativos, como a criminalidade.

Perguntado sobre qual seria o plano de segurança pública para a cidade, Odilon afirmou que a falta de efetivo e as péssimas condições nas delegacias é um ponto que tem que ser tratado imediatamente. “Se eu fosse o governador, eu deslocaria do serviço burocrático os policiais que estão empregados com desvio de função e os colocaria na rua. Essa seria uma solução imediata que o atual governador deveria fazer”, disse. Ele ainda falou sobre outros pontos importantes para a formação das propostas para seu governo, caso seja vencedor no pleito eleitoral.

Essas e outras informações podem ser conferidas na entrevista.


O pré-candidato do PDT recebeu o Perfil News durante café da manhã no TAJ Hotel (Foto: Janivaldo)

Odilon disse que completar 55 anos de trabalho resolveu se aposentar e  recebeu convites de diversos partidos políticos, porém aceitou a proposta do PDT (Foto: Viviane Pinheiro)


Comentários