25/10/2013 15h34 – Atualizado em 25/10/2013 15h34

Jovens nascidos em 1995 prestam juramento à Bandeira Nacional

Dispensados do Serviço Militar, os jovens também receberam o Certificado de Dispensa de Incorporação, documento exigido para o exercício da cidadania

Da Redação

A prefeita Marcia Moura (PMDB) se fez representar pelo vice-prefeito Luiz Akira, na solenidade de Juramento à Bandeira e entrega dos Certificados de Dispensa do Serviço Militar aos jovens da classe de 1995 e anteriores, na manhã desta sexta-feira (25), na Quadra Poliesportiva da Escola Estadual Afonso Pena, no Centro.

A cerimônia foi presidida pelo delegado da 4ª Delegacia do Serviço Militar, sediada em Paranaíba, 1º tenente Dari Dietz, e prestigiada pelo tenente Teodoro, representando o Comando da 2ª Companhia de Infantaria do Exército Brasileiro; representante da Câmara Municipal, servidor Doralício Delgado, chefe de Gabinete do presidente, vereador Jorge Aparecido Queiroz – Jorginho do Gás (PSDB); e o secretário da Junta de Serviço Militar de Três Lagoas, Antônio Donizete Barbosa.

Mais de 200 jovens de Três Lagoas, nascidos em 1995, foram dispensados do Serviço Militar, por excesso de contingente ou por outros motivos.

No entanto, em cumprimento à legislação do Serviço Militar, torna-se necessário o juramento à Bandeira Nacional, para o recebimento do Certificado de Dispensa de Incorporação.

Esse documento é obrigatório e “é requisitado constantemente no exercício da cidadania”, como explicou o tenente Dietz.

Quanto à importância e significado do juramento à Bandeira, “o compromisso não é com o Exército Brasileiro, nem com a cidade de Três Lagoas, mas com a Nação Brasileira”, ressaltou o chefe da Delegacia do Serviço Militar.

Conforme consta no teor do juramento, apesar de dispensados do Serviço Militar, os jovens têm como compromisso estar de prontidão para eventual convocação, quando se fizer necessário a defesa dos “interesses da Pátria”.

Com o braço direito estendido e em frente ao Pavilhão Nacional, os jovens disseram: “dispensado da prestação do Serviço Militar inicial, por força de disposições legais e consciente dos deveres que a Constituição impõe a todos os brasileiros, para com a defesa nacional, prometo estar sempre pronto a cumprir com as minhas obrigações militares, inclusive a de atender a convocações de emergência e, na esfera das minhas atribuições, a dedicar-me inteiramente aos interesses da Pátria, cuja honra, integridade e instituições defenderei, com o sacrifício da própria vida”.

(*) Com informações de Assecom Prefeitura de Três Lagoas

Mais de 200 jovens de Três Lagoas, nascidos em 1995, foram dispensados do Serviço Militar, por excesso de contingente ou por outros motivos (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários