03/08/2017 09h08

Nem um pio

Impressiona o silêncio em torno das articulações políticas sobre as eleições ao governo de Mato Grosso do Sul nas eleições de 2018. Os nomes antes tidos como fortes concorrentes deram meia volta e sumiram na quiçaça depois que a Polícia Federal andou dando umas arrochadas nos caboclos. Com isso, o eleitor fica a se perguntar qual o tipo candidato ele terá pela frente para definir o voto. Sabe-se de antemão que ninguém vai engolir nomes metidos goela abaixo. A análise será criteriosa.

Em ascensão

Vereador de primeiro mandato, Odilon de Oliveira Júnior assume a direção municipal do PDT de Campo Grande com a promessa de viabilizar candidatura própria ao governo de Mato Grosso do Sul e também ao Senado nas eleições do ano que vem. Com posse marcada para esta quinta-feira, o evento contará com a presença do presidente nacional da sigla e ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Especula-se que o juiz Odilon de Oliveira poderia, eventualmente, ser uma das alternativas do partido.

Na defensiva

A repercussão nacional sobre a soltura do filho da desembargadora e presidente do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral), Tânia Garcia de Freitas Borges, pode fazer com que a Corregedoria Nacional de Justiça faça diligências no Tribunal de Justiça do Estado. Breno Fernando Solon Borges, de 37 anos, foi preso com 129 quilos de maconha e armamentos pesados, mas hoje se encontra internado numa clínica no interior de São Paulo. Pau que dá em Chico tem que dar em Francisco.

Mosca azul

A assessoria do ex-prefeito Nelsinho Trad, destacou em release distribuído à imprensa o resultado do mais recente levantamento do Ipems (Instituto de Pesquisa de MS), que o aponta com 46,75% das intenções de voto na Capital na disputa pelo Senado. O instituto atesta que o petebista surge como favorito para uma das duas vagas a que o Estado tem direito em 2018. “Nas últimas eleições, saltamos de 16 para 42 vereadores, um prefeito e elegemos cinco vice-prefeitos”, gabou-se o dirigente em menção ao fato de ter assumido a direção em agosto de 2015.

Despacho

A “CPI da Propina” abortou ontem a ideia de convocar o secretário da Fazenda, Márcio Monteiro, e o superintendente federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Estado, Celso Martins, para depoimento na Assembleia. O pedido de oitiva foi apresentado pelo deputado Pedro Kemp (PT), subscrito por Paulo Siufi (PMDB). O presidente e o vice-presidente do colegiado, Paulo Corrêa (PR) e Eduardo Rocha (PMDB), além do relator Flávio Kayatt (PSDB), votaram contra a convocação.

Comentários