29/04/2014 17h19 – Atualizado em 29/04/2014 17h19

Temos que acelerar as ações de recuperação na região do Planalto, onde está a origem do problema e onde o IBAMA tem um papel extremamente importante, que é o monitoramento da vegetação nas nascentes e das matas ciliares

Da Redação

O senador Delcídio do Amaral (PT/MS) quer o IBAMA cada vez mais engajado na luta pela recuperação Rio Taquari, que , segundo ele, é protagonista, há vários anos, “do maior desastre ambiental do Brasil”.

“A situação do Taquari é um pesadelo para todos nós, um problema incomparável, que precisa ser tratado com prioridade. Temos que acelerar as ações de recuperação na região do Planalto, onde está a origem do problema e onde o IBAMA tem um papel extremamente importante, que é o monitoramento da vegetação nas nascentes e das matas ciliares. Elas precisam ser protegidas para evitar que o assoreamento continue e se amplie”, defendeu o senador, durante a inauguração da nova sede da Superintendência do IBAMA em Campo Grande, localizada no Jardim dos Estados.

O evento contou com a presença do presidente do IBAMA, Wolney Zanardi Jr., com quem Delcídio e o superintendente do órgão em Mato Grosso do Sul , Márcio Yule conversaram também sobre a necessidade de se fazer intervenções no Rio Paraguai, para garantir a navegabilidade das balsas que transportam o minério produzido em Corumbá.

“Temos que aliar o desejo de promover o crescimento econômico e o aumento do número de empregos com a preservação do meio ambiente. O desenvolvimento sustentável é a saída para que tenhamos um país melhor, mais humano e mais justo”, comentou o senador.

Além de Delcídio compareceram a inauguração da nova sede do IBAMA o deputado estadual e ex-superintendente do Ibama, Amarildo Cruz, o prefeito de Rio Verde, Mário Kruger, o superintendente do Ministério da Pesca, Luiz Figueiró, além de Edmundo Soares do Nascimento e Luciano Evaristo de Menezes, membros da diretoria nacional do IBAMA.

(*) Com informações de Assessoria de Comunicação

A situação do Taquari é um pesadelo para todos nós, um problema   incomparável, que precisa ser tratado com prioridade (Foto: Divulgação/Assecom)

Elas precisam ser protegidas para evitar que o assoreamento continue e se amplie (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários