27.4 C
Três Lagoas
sexta-feira, 28 de janeiro, 2022
InícioIndústria & ComércioCeluloseNo retrovisor de Três Lagoas, Ribas do Rio Pardo, através da...

No retrovisor de Três Lagoas, Ribas do Rio Pardo, através da Suzano é a nova “menina dos olhos” de MS

Projeto Cerrado transforma sonhos de pessoas em realidade, impulsionando Ribas do Rio Pardo como “bola da vez” em Mato Grosso do Sul

Fundada há 77 anos e com pouco mais de 25 mil habitantes, a cidade de Ribas do Rio Pardo ressurgiu como fênix no ano de 2021, vem ganhando cada vez mais destaque em Mato Grosso do Sul e atraindo até mesmo investidores de fora do Estado.

O motivo? O canteiro de obras (site) onde está sendo construído a maior fábrica (planta) de celulose em linha única do mundo.

A ideia é da empresa Suzano que deu o nome na ação de “Projeto Cerrado”, em alusão aos vastos campos de cerrado presentes na cidade.

Na segunda quinzena de outubro, o Perfil News, assim como outros veículos de comunicação da cidade de Ribas e também de Campo Grande, teve acesso (fotos acima) ao local, no entanto, o diretor do site achou por bem esperar o melhor momento, o último dia do ano, para divulgar as informações colhidas durante a visita.

A espera valeu a pena e, agora, a gente conta tudo sobre o início do projeto e andamento.  

GERANDO EMPREGOS E MELHORIA NOS INVESTIMENTOS

Em 8 meses, a iniciativa já empregava 1.800 trabalhadores que vieram de várias regiões do país, porém, uma parte é formada pela mão de obra local.

Além disso, houve mudança no valor do investimento.

Incialmente, o valor era de R$ 14,7 bilhões, contudo, no início de novembro a diretoria da Suzano divulgou um valor adicional de R$ 4,6 bilhões no Projeto Cerrado, totalizando R$ 19,3 bilhões no valor final do empreendimento.

O montante contempla investimentos florestais, logísticos e em planta química, dentre outros, e será destinado à execução do projeto com desembolso distribuído entre os anos de 2021 e 2024.

O diretor geral de Projetos e Engenharia, Maurício Miranda explicou que a Suzano prevê a entrega no segundo trimestre de 2024, entrando imediatamente em operação produzindo 2,3 milhões de toneladas/ano.

Até a conclusão, a obra passará por várias etapas, como agora que se encontra na fase de terraplanagem, drenagem e fundação.

Com o avanço do cronograma mais contratações de empresas e mão de obras serão necessárias, atingindo 10 mil trabalhadores, quase a metade da população da cidade de Ribas do Rio Pardo.

Antes de percorrer o canteiro de obras até um mirante, (foto acima) de onde pode avistar boa parte da área, o engenheiro Maurício Miranda detalhou toda a concepção do projeto, além de definir detalhadamente a estrutura da Suzano, uma empresa que conta com um efetivo de mais de 35 mil colaboradores, possui atuação em 100 países e impactam positivamente o cotidiano de 2 bilhões de pessoas ao redor do globo terrestre.

NÚMEROS SUPERLATIVOS

Grandes números do Projeto Cerrado

  • Investimento total: R$ 19,3 bilhões
  • Investimento industrial: R$ 14,7 bilhões
  • Investimento em Florestal, Logística e Outros: R$ 4,6 bilhões
  • Capacidade instalada: 2,55 milhões de toneladas anuais (2 milhões e 550 mil toneladas anuais)
  • Capacidade instalada de produção de celulose da Suzano após o início das operações: 13,45 milhões de toneladas anuais*
  • Início de operação: 2º semestre de 2024
  • Geração de energia excedente (disponível para venda ou não consumida pela Suzano no local): 180 MW médios
  • Raio médio estrutural da base florestal que atenderá a fábrica: 65 km
  • Custo caixa estrutural de produção de celulose: abaixo de R$ 400 por tonelada
  • Geração de empregos durante a obra (pico): aproximadamente 10 mil pessoas
  • Geração de empregos após início de operações: aproximadamente 3 mil pessoas entre próprios e terceiros
  • Número de horas de treinamento para a capacitação de pessoas: 2 milhões de horas

* Além das linhas de produção de celulose, a Suzano possui capacidade instalada para produzir 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano

DIMENSÕES DO EMPREENDIMENTO

Só para ter uma ideia da dimensão do empreendimento, o site ocupa uma área de 4,5 milhões de metros quadrados, com terreno de aproximadamente 5 quilômetros de comprimento por 3 km de largura.

Do local onde foi exibido através de um data show, a estrutura da empresa, onde também está instalada a equipe técnica, até o mirante tem uma distância aproximada de uns 3 KM.

Pelo percurso ao mirante percebe-se a movimentação e máquinas, tratores, escavadeiras e centenas de trabalhadores. Daí dá para ver a dimensão e o colossal tamanho do empreendimento.

Atualmente, o Projeto Cerrado é a maior obra privada em execução no país. Esse investimento, principalmente após mais de 18 meses de pandemia da covid, chega em boa para impulsionar a economia do município e do estado.

SEGURANÇA CONTRA COVID

Por falar em pandemia, a Suzano adotou um rígido protocolo sanitário. Para entrar no site da empresa, o visitante, assim como os demais colaboradores têm que apresentar a carteirinha de vacinação. Porém, mesmo assim o visitante deve fazer o teste O RT-PCR, que é realizado no local, (sem nenhum custo), a partir de amostras coletadas no trato respiratório inferior ou superior. Só após o resultado e se for negativo é liberado a entrada. (foto acima)

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO

Outro fator que a empresa é rígida, é com a segurança, tanto dos colaboradores, como para quem visita o local. Para isso existe um protocolo para uso de roupas e calçados exigidos àqueles que visitam o site, enquanto para os trabalhadores, todos devem estar com EPI’s e trajes apropriados para o trabalho.

Desde o início da obra, segundo o engenheiro Maurício Miranda, não foram registrados acidentes de trabalho.

PARCERIA COM A PREFEITURA

Miranda destaca que a Suzano iniciou uma parceria com a prefeitura para acomodar os trabalhadores.

Alguns alojamentos (fotos acima) foram e estão sendo construídos na cidade exatamente para hospedar os trabalhadores atuantes no projeto.

Os alojamentos passam por inspeção técnicas, atendendo todas as normas de segurança e sanitárias, conforme exige o protocolo da Suzano. Para ter uma ideia, alguns alojamentos possuem equipamentos de reconhecimento facial na entrada. Tudo isso para dar segurança, principalmente na questão da covid, onde quando menos ocorrer contato entre as pessoas é melhor.

VALORIZAÇÃO DE IMÓVEIS E MELHORIA NOS COFRES PÚBLICOS

Em contato com o João Alberto Danieze (Psol), que recebeu o Perfil News com muita cortesia, ele disse que a cidade passa por uma transformação em todos os setores.

“Só para você ter uma ideia, temos dois canteiros de obras. Um no site da Suzano e outro na cidade, simbolizando na frase a quantidade de obras, residenciais e comerciais que estão sendo construídas em Ribas do Rio Pardo”, destacou.

De acordo com o administrador, os reflexos do investimento bilionário do grupo Suzano no município já afetam positivamente o caixa da prefeitura que já tem R$ 27 milhões de excesso de arrecadação, e, segundo Danieze, deverá triplicar o orçamento municipal.

O administrador disse ainda que, por conta da migração de trabalhadores, existem novos loteamentos imobiliários e até condomínio fechado sendo lançado no município.

DÉFICIT HABITACIONAL

De acordo com o prefeito, o déficit habitacional era de 3 mil casas.

Porém, esse número tende a ampliar, com a chegada de milhares de pessoas de várias regiões do país e das famílias que moravam nas propriedades rurais, onde as terras foram vendidas ou arrendadas para o plantio de eucaliptos.

Nesse sentido Danieze falou que através de parceria com o governo do Estado foi autorizado a construção de 250 bases para novas casas. Os investimentos são na ordem de R$ 3,6 milhões.

Porém o setor privado já está investindo com força em edificações de imóveis residenciais e comerciais. As construções estão sendo erguidas em várias partes da cidade. Basta dar uma volta pelo centro e bairros é possível avistar as obras. Até prédios, com apartamento comerciais e residenciais estão sendo construídos na cidade.

REDES DE ÁGUA

De acordo com o gerente regional da Sanesul, Adilson Bahia a empresa teve que mobilizar uma equipe de Três Lagoas para somar esforçar com a unidade de Ribas. “São tantas solicitações de novas ligações que precisei reforçar enviando uma equipe de Três Lagoas para atender a demanda em Ribas”, disse Bahia.

Para ter uma ideia, até setembro deste ano foram ligados 301 ramais de água, enquanto durante todo o ano de 2020 foram 242 atendimentos de ligações, informou Bahia.

O prefeito salientou que está fazendo a lição de casa e para não errar mobilizou uma equipe da prefeitura para trocar ideias e sugestões com os colegas de Três Lagoas, município que já passou por esse processo de transformação e tem muito que ensinar.   

VALORIZANDO EQUIPE POR MEIO DE CAPACITAÇÃO

A construção da nova fábrica de celulose da Suzano em Ribas do Rio Pardo terá cerca de 10 mil trabalhadores no pico da obra e, quando a unidade entrar em operação no segundo semestre de 2024, contará com 3 mil colaboradores nas áreas florestal e industrial, entre próprios e terceiros.

Para suprir toda essa demanda, prioritariamente com profissionais locais e da região, a empresa vai oferecer ao longo do período de construção cerca de 2 milhões de horas de cursos e capacitações, grande parte em parceria com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). Se fosse uma única pessoa, isso equivaleria a 228 anos ininterruptos de estudo, 24 horas por dia.

Para o diretor-regional do Senai, Rodolpho Caesar Mangialardo, a qualificação marca o início de uma intensa parceria da instituição com a Suzano em prol do desenvolvimento de Ribas do Rio Pardo e da indústria sul-mato-grossense

A estratégia faz parte do compromisso assumido pela Suzano de capacitar a mão de obra local para atender as demandas da companhia e de outras empresas do mercado, fomentando a geração de emprego e renda para os moradores de Ribas do Rio Pardo e região. Duas iniciativas dentro dessa estratégia já estão em andamento, em parceria com o Senai: o Curso de Qualificação Profissional do Módulo Silvicultura, iniciado em setembro com 250 alunos; e o Programa de Qualificação Técnica Operação Industrial, iniciado em novembro com 220 alunos.

REFEIÇÕES DE PESO

O volume de alimentos servidos nos refeitórios da obra e dos alojamentos já impressiona: somente em novembro, foram servidas mais de 102 toneladas de alimentos, considerando somente almoço e jantar – mais do que o peso de um ônibus espacial.

Muller Cozinha Industrial é uma das empresa que fornecem alimentação aos trabalhadores do Projeto Cerrado (Foto: Ricardo Ojeda)

Para se ter uma ideia, nesse período foram servidas 24,8 toneladas de proteína, 10,58 toneladas de guarnição, 30,12 toneladas de arroz, 18,34 toneladas de feijão, 6,5 toneladas de salada de folhas, 8,7 toneladas de salada de legumes e 3,25 toneladas de frutas.

VOCÊ SABIA?

A extensão das tubulações de concreto (manilhas e aduelas) utilizadas na implantação da drenagem da área da fábrica da Suzano em Ribas do Rio Pardo é de 39,7 quilômetros. São 35,4 quilômetros de manilhas e 4,3 quilômetros de aduelas. Essa extensão é equivalente a quase a metade do trajeto entre Ribas e Campo Grande.

SEGURANÇA NAS RUAS

Com tanto investimento, a segurança pública precisou de reforço.

Ao Perfil News, o tenente Gabriel de Oliveira Martins, comandante do pelotão da Polícia Militar, (foto abaixo) informou que vem recebendo apoio dos militares de Campo Grande aos finais de semana, para que não tenha desordem e bagunça nas ruas da cidade.

A parceria tem dado certo, já que, segundo o tenente Martins, a criminalidade reduziu.

MORADIA, RESTAURANTE E TURISMO

Encontrar casa para comprar em Ribas do Rio Pardo é uma missão impossível diante do crescimento meteórico. Houve também aumento de restaurantes para atender os trabalhadores e visitantes que chegam na cidade.

Justamente para atender esse novo público, a Associação Comercial da Cidade está dando cursos para os comerciantes locais para melhor atendimento aos clientes.

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.