04/05/2018 11h16

Willams Araújo

No topo…

Bataguassu e Costa Rica são os únicos de Mato Grosso do Sul entre os 100 municípios brasileiros com melhores índices de avaliação, conforme o levantamento “IGM-CFA de Governança Municipal”. Administrada pelo prefeito Pedro Caravina (PSDB), Bataguassu está entre as 30 melhores do País no ranking e a primeira do Estado em gestão pública. A prioridade por demandas da população em vários setores (saúde, infraestrutura, educação, etc), são os “segredos” apontados pelo prefeito tucano pela boa colocação.

Critérios…

O estudo, realizado em parceria com o Instituto Publix, reuniu índices já consolidados do Firjan de Desenvolvimento Municipal, IEGM (Índice de Efetividade da Gestão Municipal), IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), entre outros. Foram mais de 400 variáveis encontradas. Diante da falta de planejamento e controle, o desperdício de dinheiro público, o gasto desenfreado e a corrupção nos municípios brasileiros o Conselho Federal de Administração, por meio da CGP (Câmara de Gestão Pública ), decidiu criar o IGM-CFA (Índice CFA de Governança Municipal).

Filtro…

Os pesquisadores fizeram um filtro e foram selecionadas variáveis com alta correlação. Posteriormente, elas foram agrupadas em três dimensões consideradas indispensáveis na gestão pública: Qualidade Fiscal (QF), Qualidade da Gestão (QG) e Desempenho (D). A soma desses índices gerou a métrica adotada para chegar ao IGM-CFA.

Planejamento

O indicador criado pelo CFA condensa a informação de diversas variáveis como educação, saúde, gestão, gestão fiscal, gestão ambiental, transparência e accontability, efetividade, informatização, planejamento urbano, articulação institucional, recursos humanos, habitação, vulnerabilidade social, e IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal.

Não deu

A terceira turma do Tribunal Regional Federal da 3ª região manteve na quarta-feira (2) a rejeição de bloqueio de bens solicitada no processo feito pelo MPF (Ministério Público Federal), em 2014, contra o ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB). O MPF acusa o ex-prefeito de Campo Grande de crime de improbidade administrativa para a contratação da empresa Anfer Construções, que executou obras no aterro sanitário Dom Antônio Barbosa II.

Relatório

Na justificativa apresentada anteriormente, o relatório do TRF3 apontou que o processo não conseguiu comprovar uma vinculação entre a administração pública municipal de Nelsinho Trad e a habilitação indevida da empresa Anfer Construções e Comércio Ltda, vencedora da construção do aterro.

Comentários