02/04/2019 08h16

Homem foi executado na Vila Nova pouco depois do pedinte conhecido como Carrapicho ter sido esfaqueado na rodoviária

Gisele Berto

Três Lagoas registrou, entre o final da tarde e o começo da noite de ontem, dois episódios graves de violência.

Em torno das 17h, o pedinte conhecido como Carrapicho, foi esfaqueado na região da Estação Rodoviária.

Segundo o registro de ocorrência, a polícia foi acionada após a denúncia de que um homem havia esfaqueado outro. Quando os policiais chegaram, encontraram Suruagy Alves da Silva, 38 anos, parado no local.

Ele afirmou ser o autor das facadas e disse que atacou Carrapicho porque ele o havia roubado no último domingo.

Suruagy disse que ontem, 1, pegou uma faca e foi atrás de Carrapicho para tentar recuperar seus pertences. Quando o encontrou, perguntou sobre suas coisas e foi ignorado. Quando o homem virou de costas e saiu andando, Suruagy afirma que “perdeu a cabeça” e atacou Carrapicho com três facadas – no pescoço, tórax e nas costas.

A vítima recebeu os primeiros socorros do Samu e foi encaminhada ao Hospital Auxiliadora. Segundo informações do Hospital, ele fez exames e sutura no local do ferimento. Foi reavaliado e recebeu alta às 20h33.

HOMICÍDIO NA VILA NOVA

Um pouco mais tarde, às 19h40, dois homens em uma moto executaram Renato Alberto de Lima Bezerra, 23 anos, com três tiros .

Uma testemunha afirmou que viu uma moto vermelha, barulhenta e com a placa levantada. O veículo parou e os ocupantes começaram a conversar com Renato, aparentemente sem alteração de voz. Eles estavam de capacetes fechados.

De repente, a testemunha ouviu um disparo de arma de fogo. Em seguida, ouviu mais um disparo e viu a vítima caída no chão. O terceiro disparo foi à queima-roupa, quando Renato já estava caído.

A testemunha ligou no Copom, mas quando os policiais chegaram o homem já estava morto. O SAMU foi chamado para constatar o óbito.

Dois tiros acertaram a região do tórax e o outro foi na cabeça.

A viúva de Renato afirmou à polícia que, durante o dia, três pessoas da sua família fizeram ameaças ao casal, inclusive apontando um revólver calibre 38 e dizendo que iriam matar os dois.

POR POUCO

Pouco antes da meia-noite, os policiais foram informados que os autores da execução de Renato estariam em um rancho localizado na BR 158, próximo ao Galpão na Estância Santa Aparecida.

No local, encontraram E.R.S., de 56 anos. Ele estava saindo do sítio quando os policiais chegaram. Ao ser abordado, o homem afirmou que o filho havia ligado para ele dizendo que “tinha feito uma cagada e não sabia o que fazer”. Em outra ligação, não identificada, o homem soube que “seus filhos tinham jogado a arma do crime dentro do rio”.

Indagado para onde estava indo, E. falou que estaria indo de encontro dos filhos no bairro Alto da Boa Vista. Ao revistar o rancho onde E. estava, a polícia encontrou três munições calibre 38 intactas. O homem disse que as munições haviam sido doadas por um médico.

A polícia foi até o Alto da Boa Vista, no endereço fornecido pelo homem, mas não encontrou os suspeitos. Ao ser informado que teria que acompanhar os policiais, E. resistiu e, segundo o registro da ocorrência, “foi necessário o uso da força para contê-lo”. Ele responderá por posse ilegal de arma de fogo e resistência.

Carrapicho foi atacado na região da Rodoviária, depois que um homem alegou que ele o havia roubado. Reprodução Google Maps.

Comentários