07/06/2017 16h46

A cidade comemora aniversário e o Perfil News resgata a história das pessoas e empresas que cresceram junto com Três Lagoas

Guta Rufino

Três Lagoas completa 102 anos e sua história, como se sabe, é composta por ciclos. Entre todos eles, um foi o responsável pelo surgimento da cidade: a Estrada de Ferro N.O.B. (Noroeste do Brasil), que será tema do desfile cívico do aniversário de Três Lagoas no dia 15 de junho deste ano.

E nesse mês, o Perfil News reserva várias matérias especiais em comemoração ao aniversário da cidade, onde você vai conhecer histórias de pessoas, famílias e empresas, que fizeram e ainda fazem parte do desenvolvimento da cidade em seus diversos ciclos.

VACARIAS

E para relembrar a história do município, vamos falar sobre um primeiro momento, que é o ciclo do gado, iniciado na década de 20 do século XIX. Ainda parte de Sant’Ana do Paranaíba, a região hoje ocupada por Três Lagoas, era cenário de vacarias. O comércio de gado começou antes mesmo da fundação do município e rendeu até um monumento no século XX: o Obelisco – balança de gado -, situado em uma praça no bairro jardim Alvorada, onde, comitivas de várias regiões acampavam no local e acontecia a feira de compra e venda de gados.

A pecuária se manteve como principal base econômica do município por várias décadas. E ainda hoje se faz presente, com grandes e pequenas propriedades rurais, de famílias tradicionais no município.

FERROVIA NOROESTE DO BRASIL (N.O.B.)

O próximo ciclo é o da Estrada de Ferro. E é nesse momento que projeta-se a construção de Três Lagoas. Uma cidade que foi planejada ao estilo francês, por meio de um plano moderno de urbanização. Neste momento, antes mesmo de existir, Três Lagoas já era parte do que apenas grandes cidades respeitavam: um plano de urbanização. “Desde o início Três Lagoas se mostrou como uma cidade pujante. Uma cidade que nasceu em ares cosmopolitas”, declarou o diretor do departamento de cultura, Rodrigo Fernandes, historiador e um dos acervos ambulantes da história de Três Lagoas.

A Estrada de Ferro nasce em 1905, em Bauru e trilha para Três Lagoas em 1907, com uma mudança de trajeto que definia que a estrada de ferro não passaria mais por Itapura, e sim pelo Jupiá, por conta da capacidade e potencial territorial.

E um ano depois, em 1908 surge o projeto urbanístico de Oscar Teixeira Guimarães para a construção de Três Lagoas.

Já no ano seguinte, em 1909, foram realizados estudos de viabilização para construção da ponte férrea que passa sob o Rio Paraná, pela companhia Machado de Mello.

No dia 31 de dezembro de 1910 é inaugurada a Estação Ferroviária de Três Lagoas.

Neste momento chegam ao território onde hoje é município, os primeiros moradores; imigrantes que trabalhavam na estrada de ferro ou trabalhavam em função da linha. Eles eram em sua maoria: árabes, portugueses, italianos e japoneses.

TRÊS LAGOAS: NASCE UMA CIDADE PLANEJADA

Poucos anos depois, já em 1915, acontece a emancipação administrativa de Três Lagoas. E, 1920 o município é elevado a categoria de cidade. E apesar de recém fundada, já apresenta características de desenvolvimento e modernização dos anos 20. E é nesse período que inicia o escoamento de gado, a movimentação de mercadoria e de pessoas. “De todas as cidades, por onde passa a ferrovia, Três Lagoas foi única projetada para existir antes da estação, tendo em vista que ela passa existir em função da N.O.B.”.

MATRIZ ENERGÉTICA

A Usina de Jupiá – CTG, antes Engenheiro Souza Dias – CESP, foi o maior projeto de engenharia que visava gerar energia. “Por um tempo ela foi a maior do mundo, porque foi a primeira usina a ultrapassar um gigawatt de potência instalada”, contou o diretor de cultura.

Construída em 1959, a usina que faz parte do Complexo de Urubupungá, atuando junto a usina de Ilha Solteira, construída em 1966. “As usinas geraram grande impulso econômico e demográfico em Três Lagoas”, pontuou Rodrigo.

Não diferente de outros momentos, é a partir da construção da usina que Três Lagoas dá início ao crescimento, com a chegada de trabalhadores, mais imigrantes, e construção de um bairro, que na época mais parecia uma cidade, a Vila Piloto. Bairro que inclusive desenvolveu muito nos últimos anos.

INDÚSTRIA E CELULOSE

Já na década de 80, a Champion – hoje International Paper -, chega à Três Lagoas e confirma o potencial do município no plantio de eucalipto.

E nesse ritmo, inicia-se o fortalecimento da indústria em Três Lagoas. A partir daí, nos próximos anos, as fábricas começam a se espalhar pelos Distritos Industriais 1 e 2.

Em poucas décadas Três Lagoas passa a ser reconhecida como a Capital Mundial da Celulose, tendo duas gigantes instaladas em seu território e em plena operação: Fibria e Eldorado Brasil. Ainda este ano, Fibria inaugura a segunda linha de produção, denominada, Projeto Horizonte 2. A partir da operação desta fábrica, Três Lagoas será umas das únicas cidades do mundo e ter três indústrias de celulose.

Nesse mês comemorativo ao aniversário de emancipação politico administrativo, o Perfil News vai publicar conteúdo exclusivo, com narrativas dessas histórias de sucesso, de pessoas e empresas que juntas escrevem a história de Três Lagoas.

Obelisco marca a memória da feira do gado no ciclo de vacarias em Três Lagoas (Foto: Arquivo/Perfil News)

Comentários