15/03/2019 16h56

Atrair associados é o primeiro desafio da nova diretoria da Associação Comercial

Novo presidente da ACITL, Fernando Jurado, falou sobre o planejamento para transformar a Associação em uma referência política na cidade

 
Gisele Berto
Novo presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas, Fernando Jurado. Foto: Ricardo Ojeda

Em entrevista ao Perfil News o novo presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas, ACITL, falou sobre os desafios que pretende enfrentar nos próximos dois anos para transformar a Associação em um órgão definitivamente forte e representativo dos interesses do comerciante e empresário três-lagoense.

O primeiro passo, segundo Jurado, passa por atrair os empresários. Ele sabe que, em um primeiro momento, precisa oferecer uma boa cesta de serviços. Depois disso, entretanto, é que começa o trabalho de verdade.

"Uma vez que o empresário tenha se associado, vamos mostrar para ele que a ACITL não é só serviço. As pessoas devem estar na associação porque ela é a voz do empresário em Três Lagoas e é ela quem vai lutar pelos nossos interesses".

A FÓRMULA DO SUCESSO

E esses interesses passam, obviamente, pela força política. Para isso, a ACITL conta com a alta taxa de adesão para poder mostrar representatividade junto aos governos. "Sabemos da importância econômica de Três Lagoas para o Estado. No entanto, na hora da divisão dos recursos, a cidade acaba não sendo contemplada como deveria. Para a ACITL contribuir nesse processo nós precisamos ser uma associação forte e representativa. A fórmula do sucesso passa por aí", disse.

A ideia é fortalecer institucionalmente a ACITL nos próximos dois anos e transformar a associação em uma referência política. "Nós precisamos aumentar o número de associados para mostrarmos para a sociedade, para o governante, que a entidade é de fato representativa dos interesses do comerciante, do prestador de serviço e do industrial de Três Lagoas. Depois desse fortalecimento institucional, queremos criar bandeiras, lutas que mostram para o governante que nós somos representativos e que temos tamanho e podemos cobrar", afirmou o empresário.

QUESTÃO FISCAL

Um problema que deve ser abordado com urgência pela ACITL é a questão fiscal. "O fato de estarmos próximo à fronteira com SP, que pratica uma política tributária que nos ofende diretamente, é muito prejudicial. Vamos fazer isso mudar quando estabelecermos nossas prioridades e formos para a briga, mostrar para o governo onde está o erro e o que temos que fazer para defender esses interesses".

“O fato de estarmos próximo à fronteira com SP, que pratica uma política tributária que nos ofende diretamente, é muito prejudicial"

— Fernando Jurado, Presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas

 

FÓRUM DE ENTIDADES

Outra proposta ousada de Jurado é a criação do Fórum de Entidades. O novo presidente já está em conversas com representantes de entidades de classes, sindicatos para a criação desse que ele julga ser "o maior movimento de classes que a cidade já viu".

A ideia é unir ACITL, Sindicato Rural e todas a entidades ligadas ao setor produtivo ou que represente classes profissionais, tais como OAB e Associação dos Engenheiros. Chamar todos para uma mesa e discutir problemas que são comuns a todas elas.

Antes de levar as questões ao poder público – como Prefeitura e Governo do Estado – deve ser criada uma Câmara para discutir o desenvolvimento econômico da cidade. Aí serão abordados temas como infraestrutura urbana e questões de atendimento público por serviços. Ao final de um período essa Câmara vai elaborar um documento onde constarão as lutas que essas entidades querem brigar. Só então, a ACITL acionará o poder público.

AJUDA NA GESTÃO

Jurado acredita que o choque de crescimento pelo qual a cidade passou acabou dificultando a vida do empresário.

"O processo de transformar o pequeno comerciante em um empreendedor foi muito rápido, houve um choque. Aconteceu muito rápido. Alguns valores culturais ficaram pelo caminho", afirmou.

O crescimento acelerado do mercado fez mudanças urgentes, como o pequeno comerciante que trabalhava sozinho fazendo reparo em ar condicionado e, de repente, teve que se transformar em uma empresa grande com vários funcionários. "Esse empresário parou de fazer atendimento para fazer gestão. Essa pessoa não tinha know-how nenhum de gestão".

Nessa questão – e também na formação e capacitação de pessoal – Jurado acredita que o Sistema S tem sido grande parceiro. "Às vezes o empresário quer capacitar seu colaborador, mas não tem condição. A ACITL tem que trabalhar no sentido de promover capacitação e selecionar, através de pesquisa, aquilo que o comerciante tem como dificuldade", disse.

“Às vezes o empresário quer capacitar seu colaborador, mas não tem condição. A ACITL tem que trabalhar no sentido de promover capacitação e selecionar, através de pesquisa, aquilo que o comerciante tem como dificuldade”

— Fernando Jurado, Presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas

 

A EXPERIÊNCIA DA AJE

Jurado foi um dos fundadores da Associação de Jovens Empresários e Empreendedores - AJE e usará essa experiência na ACITL.

"Enxergando esse forte crescimento do mercado da cidade, lá atrás, a AJE reuniu um grupo de jovens empresários para se fortalecer, para um ouvir o case do outro. A AJE foi considerada um dos maiores movimentos de empreendedorismo não-governamental do Estado", lembrou.

"Vejo empresários dentro da AJE se esforçando para fazer negócios. Isso é um case que precisamos usar na ACITL. Quem souber explorar a oportunidade de network que aquela associação traz vai ter muitos benefícios. Uma irmã menor que vai poder somar com a irmã maior, e a irmã maior vai poder usar sua estrutura maior e representação política para ajudar a irmã menor".

PRAZOS

O reflexo da gestão de Jurado tem prazo para começar a aparecer. Nesta semana foi feita uma reunião de diretoria, onde foi listado tudo o que a associação julga que devem ser seus compromissos para os próximos dois anos. "Na próxima semana será feita uma imersão para construir um planejamento. Ali vamos ter nosso programa de metas. Quando esse programa estiver pronto vamos fazer o lançamento e, aí sim, a população vai sentir a força da associação".

Envie seu Comentário