11/02/2019 07h07

Fila de espera por mamografia em Três Lagoas é de 20 mulheres

Em 2017 esse número chegou a 2.718, com prazo de mais de 90 dias; hoje a espera não chega a um mês

 
Redação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

A fila de mulheres à espera de exame de mamografia caiu de mais de 2700, em 2017, para 20 neste ano. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde de Três Lagoas. A requisição de exame mais antiga é de 30 de janeiro de 2019, ou seja, foi solicitado há pouco mais de uma semana.

A demanda reprimida por este procedimento de prevenção e diagnóstico precoce de câncer de mama havia se agravado, nos últimos anos, devido às avarias constantes do aparelho de mamografia, instalado na Clínica da Mulher.

Segundo relatórios da SMS, no final de 2016, a demanda pendente por exames de mamografia chegou a 1.572 e o tempo de espera para a realização desse exame ultrapassava os 90 dias.

Em 2017, devido às constantes avarias do mamógrafo da Clínica da Mulher, a demanda reprimida de exames de mamografia atingiu 2.718 mulheres, que precisavam desse exame. O tempo de espera continuava, em média, por 90 dias.

Foi também em 2017, já na gestão de Ângelo Guerreiro, que foi contratualizado o serviço de mamografia do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora.

A solução deste problema começou a ter resultados significantes no final de 2018, quando o número de mulheres que aguardavam por exame de mamografia foi reduzido para 582 e o tempo de espera pelo exame também foi reduzido para, no máximo, em 60 dias.

Para a diretora de Relações Institucionais de Saúde, Rosalba Maria do Nascimento, a normalização do atendimento de exames de mamografia na Clínica da Mulher e a continuação da contratualização dos serviços junto ao Hospital Auxiliadora contribuíram para a redução da demanda reprimida.

 

AUSÊNCIAS EM CONSULTAS E EXAMES

"Além dos problemas de seguidas avarias do aparelho de mamografia na Clínica da Mulher, a demanda reprimida desses exames também aumentou devido aos altos índices do não comparecimento de mulheres a exames previamente agendados", observou Rosalba.

"Na Clínica da Mulher, esses índices chegaram a 50%. Ou seja, de 100 exames previamente marcados, 50 mulheres não compareceram nesse dia. No Hospital Auxiliadora, as ausências foram de quase 32% dos exames marcados. Em dezembro o não comparecimento a exames previamente agendados se agravou e chegou até a 65%", informou a diretora de Saúde.

Como observou a secretária de Saúde de Três Lagoas, Angelina Zuque, "a ausência de pacientes nos dias dos procedimentos previamente agendados causa uma série de transtornos não só àquele paciente que faltou, mas acaba prejudicando também outas pessoas que poderiam ser atendidas naquele dia, mas a vaga estava preenchida", comentou.

Para conscientizar a população de Três Lagoas sobre a responsabilidade de comparecer para exames, consultas médicas e outros procedimentos pré-agendados e não faltar, a SMS instalou em todas as Unidades um painel de controle do número de ausentes.

No painel consta a seguinte mensagem: "Faltar à consulta faz mal à sua saúde e à dos outros".

Na Clínica da Mulher, como consta na foto da manhã de sexta-feira (08), o painel registrava que, no último mês, 104 pacientes haviam faltado a consultas previamente marcadas e 329 não compareceram para exames.

Envie seu Comentário