12/02/2019 16h23

Laticínio deve gerar cem empregos diretos em Anaurilândia

Obras do novo empreendimento devem começar em março

 
Gisele Berto
Planta do Laticínio Maná em Jateí. Foto: Divulgação Planta do Laticínio Maná em Jateí. Foto: Divulgação

Com mais de quatro mil m² de construção, o Laticínio Maná deve inaugurar mais um polo produtor no Mato Grosso do Sul.

Após a abertura da fábrica em Jateí, onde produz leite de caixinha e queijos, o Maná desembarca em Anaurilândia, onde instalará sua unidade produtora de derivados de queijo. São 27 produtos, entre doce de leite, requeijão em pote, iogurtes.

As negociações com o empresário começaram há dois anos. Segundo o Secretário Municipal de Desenvolvimento Economico, Indústria e Comércio de Anaurilândia, Elizeu Gonçalves Muchon, o acordo já está fechado e o terreno que servirá ao empreendimento já foi comprado.

"Tivemos várias reuniões com o empresário nos últimos dois anos. Eles estavam para inaugurar o laticínio em Jateí e disseram que só fariam um novo investimento depois dess a inauguração", conta Muchon.

A inauguração em Jateí coincidiu com o repasse milionário de verbas indenizatórias da CESP a que Anaurilândia teve direito. "Com isso, tivemos condições de chamar o empresário e oferecer a nossa contrapartida", disse Muchon.

Leites são produzidos na unidade de Jateí. Em Anaurilândia serão feitos os derivados. Foto: Semagro Leites são produzidos na unidade de Jateí. Em Anaurilândia serão feitos os derivados. Foto: Semagro

E Anaurilândia está jogando pesado: além de fornecer o terreno e isenções fiscais, ainda constrói o projeto. O contrato prevê que a escritura é dada com termo de reversão de 10 anos. Depois desse ano, se a empresa cumprir tudo o que foi pactuado, a escritura passa a ser definitiva.

"Levei todos os vereadores e e o prefeito Edinho Takazono a uma reunião em Jateí para eles conhecerem a empresa. Imediatamente recebemos o apoio do legislativo", conta Muchon.

Todo o processo é acompanhado de perto pelo promotor de justiça, Dr. Allan Thiago Barbosa Arakaki. Os recursos destinados para as contrapartidas saem diretamente de um fundo formado por parte das indenizações da CESP, voltado para criação de emprego e renda, e todo o dinheiro gasto é supervisionado pelo Ministério Público.

O Laticínio Maná deve gerar mais de 100 empregos diretos a Anaurilândia, isso sem contar com os investimentos dos empresários da bacia leiteira. "A associação dos produtores de leite daqui já entregam leite para esse laticínio. Os representantes da associação já conhecem o empresário e me acompanharam em algumas reuniões", disse o Secretário.

Secretário Municipal de Desenvolvimento Economico, Indústria e Comércio de Anaurilândia, Elizeu Gonçalves Muchon. Foto: Divulgação. Secretário Municipal de Desenvolvimento Economico, Indústria e Comércio de Anaurilândia, Elizeu Gonçalves Muchon. Foto: Divulgação.

O PROCESSO

A Prefeitura já comprou os cinco alqueires pedidos pelo empresário e já providenciou a individualização da matrícula. Agora, enviará à Câmara um projeto de lei pedindo autorização para dar andamento ao investimento. Com o terreno em nome da prefeitura o projeto desce para o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico para avaliação de todo o recurso que será colocado na contrapartida.

Após todos os trâmites, as obras já podem começar, o que deve acontecer em março. O Laticínio Maná estará localizado ao lado da sede da recém-inaugurada Copasul, na entrada da cidade, sentido Nova Andradina.

*Matéria alterada em 15/2/2019 às 20h para correção de informações.

Envie seu Comentário