25/03/2019 14h31

Polícia de Três Lagoas prende homem que mandava vídeos obscenos para mulheres

Ele também roubava calcinhas dos varais e filmava mulheres através dos vidros e muros; cinco mulheres registraram ocorrência contra o Tarado do WhatApp, que já tinha passagem por enviar vídeos obscenos para uma criança, em 2010. VEJA VÍDEO ao final da reportagem.

 
Gisele Berto
O O "Tarado do WhatsApp" era motorista de ônibus e mora em Castilho. Foto: Facebook.

A Polícia de Três Lagoas prendeu, na última sexta-feira, 22, o bandido que ficou conhecido como "Tarado do WhatsApp".

O homem, 46 anos, era motorista de ônibus, morava em Castilho e fazia chamadas de vídeo para as vítimas, onde se mostrava em atos obscenos. Também furtava calcinhas dos varais e deixava bilhetes pornográficos nas casas das mulheres da cidade.

Além disso, a polícia ainda descobriu que, escondido, ele filmava as vítimas através das janelas e muros. Com ele foi obtida uma agenda com muitos números de telefones de mulheres - vários com DDD 18, o que mostra que ele pode ter feito vítimas também em São Paulo.

Apenas em Três Lagoas cinco mulheres registraram ocorrência contra ele. "Ele tentava se esconder, criava perfis falsos, e chegou a registrar um chip no nome de um rapaz já falecido", afirmou a Delegada da Mulher, dra. Letícia Móbis Alves. Como a agenda de nomes tinha muitas outras mulheres, dra. Letícia imagina que haja mais vítimas, que não registraram ocorrência.

Delegada da DAM, dra. Letícia Móbis Alves, em entrevista ao jornalista Ricardo Ojeda. Foto: João Vitor / Perfil News Delegada da DAM, dra. Letícia Móbis Alves, em entrevista ao jornalista Ricardo Ojeda. Foto: João Vitor / Perfil News

"Pedimos que mulheres que tenham passado por essa situação, ou que tenham tido peças íntimas roubadas, que denunciem, para podermos materializar a denúncia contra ele", afirmou a delegada.

Dra. Letícia explicou que esse tipo de crime não dava cadeia. A Lei de Importunação Sexual entrou em vigor em setembro de 2018 e pode dar até cinco anos de reclusão.

A Delegacia da Mulher trabalhava em busca do sujeito desde dezembro. Após a apreensão, a polícia descobriu que o homem já havia sido processado por mandar vídeos obscenos para uma criança de 10 anos, em 2010, em Campo Grande.

Ele já está no presídio e responderá por importunação sexual e por furto qualificado.

Para evitar ser vítima desse tipo de agressor sexual, a delegada pede que as pessoas tenham mais cuidados com seus dados pessoais. "A gente pede que as pessoas se preservem. Evite colocar nas redes sociais dados, como telefone, meios de contato, onde trabalha. As pessoas esperam uma oportunidade para conseguir os dados das pessoas e cometer esse tipo de crime".

Envie seu Comentário