19/03/2019 16h28

Vigilância Epidemiológica de Três Lagoas investiga suspeita de caso de morte por Leishmaniose

Criança de um ano, falecida em Bauru (SP), morava em bairro ainda a ser confirmado, nas imediações do Jardim Flamboyant

 
Redação
O flebótomo, transmissor da Leishmaniose. Foto: Divulgação O flebótomo, transmissor da Leishmaniose. Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio do Setor de Vigilância Epidemiológica da Diretoria de Vigilância e Saneamento, investiga, desde a semana passada, a suspeita de um caso de morte por Leishmaniose.

Trata-se de uma menina de um ano de idade, que morreu no Hospital Estadual de Bauru (SP), na noite do dia 10 de março (domingo), cuja família reside em Três Lagoas, em bairro ainda a ser confirmado.

Mesmo antes do caso ser oficialmente confirmado, seguindo todas as exigências de confirmação de informações do Ministério da Saúde, as equipes do Setor de Endemias e Controle de Vetores e do Setor de Promoção da Saúde, de imediato iniciaram as ações de bloqueio químico, orientação à população e busca ativa, através de instalação de armadilhas do vetor da Leishmaniose.

Ao mesmo tempo, a equipe do Centro de Controle de Zoonoses procedeu coleta de amostras de sangue de cães daquela área para exames laboratoriais de suspeita de contaminação de Leishmaniose.

No acumulado de 2019, Três Lagoas registrou oficialmente 25 casos suspeitos de Leishmaniose e todos esses casos foram descartados por que apresentaram resultado negativo.

Envie seu Comentário