06/11/2018 14h52

Vítima agredida por suposto autor de vídeo de sexo vende TV para se sustentar

Com a mão imobilizada, sem poder trabalhar e com a mãe tomando remédio controlado, homem agredido pelo suposto autor do vídeo tem que dispor de TV para arcar com as despesas do mês

 
Ricardo Ojeda
Mecânico teve a mão quebrada pelo suposto autor do vídeo de sexo e não pode trabalhar. Foto: Arquivo Pessoal Mecânico teve a mão quebrada pelo suposto autor do vídeo de sexo e não pode trabalhar. Foto: Arquivo Pessoal

O dono da funilaria Martelinho de Ouro, Ednaldo José Peres Baldo, 44, anunciou a venda de uma TV de 45 polegadas para poder se manter durante o período de recuperação. Ele e sua mãe foram agredidos na quinta-feira passada (1) em frente à sua oficina, no bairro Colinos, pelo suposto autor que divulgou em grupo de WhatsApp, um vídeo de uma moça que trabalhava em um supermercado da cidade, em cenas de sexo. Relembre o caso na reportagem publicada pelo Perfil News.

REPERCUSSÃO

O vídeo ganhou repercussão nas redes sociais, expondo a moça, que teve que se mudar da cidade. Os pais da vítima contrataram a advogada Rozana Gomes para representar judicialmente contra o homem que expôs a intimidade da filha.

Em relação ao funileiro, Ednaldo Baldo, ele fez um comentário no Facebook, desaprovando a atitude do rapaz, que "estragou a vida da moça na cidade". Diante do comentário, ele havia publicado uma foto do acusado, porém a retirou instantes depois. Porém o procedimento não agradou o suposto autor do vídeo que foi ao local de trabalho e o agrediu com violência, chegando a quebrar um dedo da mão da vítima.

A mãe do rapaz, que estava no local no momento da agressão, tentou defender o filho, mas foi violentamente agredida pelo homem, que ameaçou ambos de morte antes de ir embora.

A perna da mãe de Ednaldo ficou cheia de hematomas. Foto: Arquivo Pessoal A perna da mãe de Ednaldo ficou cheia de hematomas. Foto: Arquivo Pessoal
NO G1

No mesmo dia foi registrado um Boletim de Ocorrência e ontem, 5, foi feito exame de corpo de delito.

O suspeito, segundo matéria publicada no G1, se apresentou na manhã de ontem na delegacia, acompanhado de sua advogada, e disse que foi ao local "tirar satisfação", porque Baldo teria publicado foto dele como sendo o autor da divulgação do vídeo íntimo. Ele negou que agrediu o funileiro e a idosa e disse que "apenas o empurrou". Ele teria dito à polícia, ainda, que havia vendido o celular e que a imagem teria ficado "na nuvem" e não sabe como o vídeo conseguiu ser resgatado.

MENTINDO

Por sua vez, a reportagem do Perfil News conversou com a advogada que defende a moça que teve sua imagem exposta em redes sociais. Ela disse que o suspeito mente quando faz essa declaração, e afirma ter todas as provas das chantagens feitas por ele e enviadas pelo WhatsApp e Messenger à vítima.

Envie seu Comentário