13/04/2019 08h19

De colisões frontais a estouro de pneus: número de mortes em rodovias federais de MS cresce 143%

De janeiro a março deste ano, foram contabilizados 39 óbitos, enquanto no mesmo período de 2018, foram 16.

 
Do G1
Alguns dos veículos envolvidos em acidentes com mortes estavam sem manutenção, apontou PRF — Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação Alguns dos veículos envolvidos em acidentes com mortes estavam sem manutenção, apontou PRF — Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

Acidentes, muitas vezes graves, com feridos e mortes. O diagnóstico da Polícia Rodoviária Federal (PRF), nas nove rodovias federais de Mato Grosso do Sul, apontou um aumento de 143,75% no número de mortes. De janeiro a março deste ano, foram contabilizados 39 óbitos, enquanto que, no mesmo período de 2018, foram 16.

Conforme a comunicação da PRF, tanto a fiscalização como o trabalho da concessionária, com ações de educação para o trânsito, continuam ocorrendo. "Todo o esforço continua e o que a gente observa é um aumento do número de colisões frontais individualmente, além de ultrapassagens mal feitas e até mesmo a falta de manutenção do veículo, com pneus carecas, por exemplo. É um aumento preocupante e bastante expressivo do número de mortes e a PRF está atenta para isso", afirmou o agente da corporação Tércio Baggio.

As rodovias analisadas foram a BR-060, BR-158, BR-163, BR-262, BR-267, BR-359, BR-419, BR-436 e BR-463. Nos três primeiros meses deste ano, foram 334 acidentes. Já em 2018, no mesmo período, foram 408. Destes números, 95 foram graves em 2019, enquanto 79 deixaram vítimas em estado grave no ano anterior.

Acidentes

No dia 18 de março deste ano, na BR-060, entre Campo Grande e Sidrolândia, três pessoas morreram. As vítimas dirigiam um carro de passeio.

Um mês antes, no dia 19 de fevereiro, acidente entre duas carretas terminou com uma morte. Conforme a polícia, o caminhão parou na pista após ter problemas mecânicos, quando outro veículo bateu na traseira. A vítima da colisão presa às ferragens e morreu carbonizada.

Envie seu Comentário