13/02/2019 09h15

Diário Na Venezuela - Episódio 8

 
Por André Sório - texto final de Ariosto Mesquita

Terminado o serviço é hora de voltar para Caracas. Já dentro do avião veio a notícia: fecharam o aeroporto executivo e as demais pistas do entorno da capital para exercícios militares. Tivemos de seguir para outro aeroporto, três horas de viagem por carro em autopista. Militares por todo lado, mas ninguém nos parou.

Situação chata, mas me deu a oportunidade de andar por uma região tradicional de cana de açúcar. As terras que foram desapropriadas estão abandonadas (largadas a esmo, não é baixa produção, não). O único pedaço que está plantado é da usina que restou em mãos privadas. Mesmo assim é fácil notar que a população de plantas não é das melhores e a cor das folhas indica que está faltando fertilizante (aquele problema da cadeia de suprimento, já relatado);

Ainda sobre a indústria de lácteos da empresa rural que atendo, a dificuldade maior é a aquisição de embalagens. Existem, mas aumentaram de preço duas vezes acima de uma inflação por si já absurda;

Os produtos são de altíssima qualidade. Os queijos são ótimos, tanto do ponto de vista de padronização, quanto de sabor. A indústria usa máquinas de fabricação italiana, específicas para leite de búfala;

No entanto, o que mais me impressionou foi o doce de leite de búfala. Receita argentina (mas sem baunilha), o que indica um produto menos doce e menos calórico do que o típico de Minas Gerais, portanto mais moderno e menos enjoativo;

A embalagem que eles usam mata a pau em termos de conveniência e conexão com o consumidor atual: tubos de 35 gramas, com apenas 120 calorias. Uma dose de doçura e alegria que se leva no bolso (veja a foto).

Ontem na reunião com o Conselho da SA que é dona da empresa (domingo se trabalha, claro) eles autorizaram que eu estude a viabilidade de importar para Brasil. Em troca eles distribuiriam na Venezuela o nosso Açaí Motion (um refrigerante de açaí para adultos), que uma empresa agroindustrial para qual prestamos consultoria acabou de lançar em alguns estados do Brasil e no México.

Concluindo, quero dizer que a situação na Venezuela é preocupante. As pessoas estão apreensivas, mas não irão deixar de trabalhar por causa disso. A realidade não pode ser vista em preto e branco como alguns meios de comunicação querem pintar.

Espero que nossos irmãos venezuelanos encontrem logo o caminho da estabilidade.

Agradeço a paciência dos que acompanharam nossos relatos diários em oito episódios. Muito obrigado pelas palavras de incentivo e apoio pela iniciativa.

Câmbio e desligo.

Autor - André Sório (foto) – engenheiro agrônomo e consultor agropecuário – andre.sorio@uol.com.br

Envie seu Comentário