08/11/2018 07h34

Quadrilha destrói carro-forte e atira em helicóptero da PM no interior de SP

Durante o confronto, os criminosos ainda atiraram contra o helicóptero da polícia.

 
MARCELO TOLEDO
Foto: Reprodução Facebook Foto: Reprodução Facebook

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Um carro-forte foi atacado na manhã desta quarta-feira (7) por uma quadrilha na rodovia Abrão Assed, em Cajuru (a 298 km de São Paulo), numa ação que terminou com ao menos dois policiais feridos. Durante o confronto, os criminosos ainda atiraram contra o helicóptero da polícia.

O veículo, da empresa Protege, ficou totalmente destruído no ataque, que ocorreu no quilômetro 2 da rodovia às 9h30.

De acordo com a polícia, a quadrilha estava armada com fuzis quando cercou o veículo na estrada, perto da zona urbana da cidade, e rendeu os funcionários da empresa.

Aos policiais, agentes disseram que cerca de dez assaltantes, que estavam em três veículos, participaram do roubo. Após ter rendido os funcionários, o grupo explodiu o veículo blindado, o que resultou na interdição parcial da rodovia.

A ação da polícia foi rápida, até pelo fato de o ataque ter ocorrido perto da base da Polícia Militar Rodoviária instalada na cidade.

Ao ouvir o barulho de tiros e da explosão, a base pediu reforço à Polícia Militar, que foi ao local e trocou tiros com a quadrilha. Feridos, dois policiais foram socorridos à Santa Casa local.

Os ladrões conseguiram fugir levando os malotes do carro-forte, segundo policiais, que desencadeou uma perseguição rumo a Santo Antônio da Alegria, cidade 35 quilômetros distante e que fica na divisa com Minas Gerais.

Acionado para reforçar a busca à quadrilha, o helicóptero da PM sobrevoava a cidade quando foi alvo de tiros disparados por assaltantes encapuzados, de coletes e capacetes e que estavam num veículo HB20 branco, conforme vídeos que circularam em redes sociais.

A incomum ação policial numa pacata cidade de cerca de 7.000 habitantes fez bancos, supermercados e lojas fecharem as portas e as pessoas ficarem trancadas em suas casas.

Policiais de Minas Gerais também atuam na busca da quadrilha. Ainda durante a manhã, um veículo que teria sido usado pelos assaltantes foi achado incendiado numa mata.

EMPRESA

Os vigilantes da Protege foram para uma mata após deixarem o carro-forte e não sofreram ferimentos, segundo a polícia.

Por meio de assessoria de imprensa, a Protege confirmou apenas que a empresa foi vítima de uma ação criminosa, sem revelar se o dinheiro foi levado e o valor.

"Informamos que todos os colaboradores estão em segurança e estamos colaborando com as autoridades na investigação em curso", informou a empresa.

Envie seu Comentário