Empreendimento da Bracell trará quase cinco mil pessoas à região só para a fase de construção; hotéis já estão lotados até em Bauru, a 50 km de distância

A história se repete: da mesma maneira que aconteceu com a implantação da primeira fábrica de celulose em Três Lagoas, mais de 10 anos atrás, Lençóis Paulista, no interior de São Paulo, prepara-se para uma revolução industrial.

A cidade, que já tinha uma indústria de celulose – a Lwarcel – viu o horizonte mudar quando a empresa foi incorporada pela Bracell, do grupo Royal Golden Eagle (RGE), de Cingapura.

A nova dona anunciou seu plano de investimento de R$ 7 bilhões no Projeto Star, sua nova fábrica na cidade. Além de Lençóis Paulista, todo o entorno vive a expectativa dos empregos e do que será o futuro local. O epicentro do investimento está concentrado nos municípios de Lençóis Paulista e Macatuba, mas a expansão da fábrica deverá criar oportunidades de emprego também nas proximidades de Agudos, Areiópolis, Borebi, Bauru, Pederneiras, São Manuel, Barra Bonita, Jaú e Igaraçu do Tietê e em todo o Estado de São Paulo.

A “revolução” não mexeu apenas com os municípios. O próprio Governo Paulista, de olho nos dólares da celulose, decidiu criar um Polo de Desenvolvimento voltado ao insumo. Isso coloca o estado de São Paulo – com sua força econômica e possibilidade de incentivos – na linha de frente na competição com o Mato Grosso do Sul por novos empreendimentos.

Local da nova fábrica da Bracell. Foto: Divulgação

Três Lagoas x Lençóis Paulista

A diferença entre Três Lagoas e Lençóis Paulista é que a cidade paulista já possui uma economia fundamentalmente industrial. Inclusive, já havia na cidade fábricas de papel e celulose, incluindo a primeira planta da Lwarcel.

A indústria responde por 80% do PIB do município – ao contrário de Três Lagoas, cuja economia tinha a pecuária por base.

Na indústria lençoiense destacam-se as produções de açúcar, álcool, celulose, óleo lubrificante, estruturas metálicas e alimentos. A cidade é sede da Zilor, um dos maiores grupos sucroalcooleiros do país.

Outro ponto curiosamente comum entre Três Lagoas e Lençóis Paulista: uma das maiores indústrias da cidade é a fabricante de biscoitos Zabet. Aqui, tínhamos na Mabel.

Aproveitando a expertise

Apesar de privilegiar profissionais da região de Lençóis até Bauru, a Bracell precisou expandir seu olhar para outras cidades onde já havia mão de obra pronta para a construção da indústria.

Por isso, de olho nos melhores técnicos do ramo da celulose, os gigantes de Cingapura vieram ao nosso quintal. Dezenas de funcionários (especialmente técnicos) com expertise em construção de plantas de celulose que trabalhavam na Suzano e da Eldorado acabaram trocando Três Lagoas por Lençóis Paulista.

A migração de profissionais deve acontecer, de novo, quando a Bracell estiver montando equipe para tocar a indústria, que deve ser inaugurada em 2021.

Canteiro de obras já está a todo vapor; fábrica deve ser inaugurada em 2021. Foto retirada das redes sociais

Boom em hotéis

Maior cidade do entorno, com cerca de 350 mil habitantes, Bauru sentirá o reflexo da construção na cidade vizinha e deve se tornar um dos polos de moradia dos profissionais, além de receber a visita de moradores do entorno aos finais de semana por ter mais opções de lazer.

Segundo matéria publicada no Jornal da Cidade de Bauru, a rede hoteleira de Bauru e região já percebe o impacto da mega construção.

Empresas terceirizadas contratadas pela fabricante de celulose para recrutar profissionais para erguer a unidade alugaram todos os apartamentos disponíveis em pelo menos três hotéis do centro bauruense.

Juntos, eles somam 136 apartamentos, sendo alguns duplos e triplos. Reservas já estão sendo feitas para acomodar eletricistas, pedreiros, carpinteiros, encanadores, entre outros trabalhadores, ainda em dezembro.

Os profissionais são originários de diversos estados do País. “Isso ocorre somente quando a mão de obra dos municípios mais próximos não atende à qualificação técnica necessária para função”, esclarece a Bracell, por meio de sua assessoria de imprensa.

Ao todo, a empresa irá contratar, por meio de terceirizadas, 4,8 mil trabalhadores para a construção da nova unidade. Eles estão acomodados não apenas em Bauru, mas também em Lençóis Paulista e em outras cidades da região. Segundo a Bracell, a previsão é de que a nova unidade fique pronta em julho de 2021.

Lá como aqui, um dos setores que mais sente o aumento repentino da população é o imobiliário. “Tivemos um aquecimento na procura de imóveis em condomínios de alto padrão, para acomodar executivos e outros profissionais que prestam auxílio nas etapas de construção da unidade, além de quitinetes, por pessoas que vêm, por conta, para trabalhar na obra”, afirmou a titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico de Bauru, Aline Fogolin.

Comentários