26/04/2014 09h56 – Atualizado em 26/04/2014 09h56

O Sisfron, segundo o comandante, também reduzirá o contrabando e o narcotráfico na fronteira de Mato Grosso do Sul

Da redação

O novo comandante militar do Oeste, general de Exército Juarez Aparecido de Paula Cunha, 60 anos, prevê queda na criminalidade e desenvolvimento na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e a Bolívia com a implantação do Sisfron (Sistema de Vigilância da Fronteira). O projeto piloto começa por Dourados e prevê investimento de R$ 1,3 bilhão em MS.

O general assumiu a vaga do general de Exército João Francisco Ferreira, que ficou no comando do CMO por 38 meses. A passagem de chefia, que começou às 10h30 de sexta-feira (25), contou com a presença do comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, e do prefeito da Capital, Gilmar Olarte.

General Juarez destacou que o Sisfron vai reduzir o índice de criminalidade, o contrabando e o narcotráfico na fronteira de Mato Grosso do Sul. A Polícia Federal estima que o Estado responda por 80% da droga apreendida no Brasil.

Além de combater a violência, de acordo com o comandante do CMO, o sistema de monitoramento irá gerar empregos e implementar o desenvolvimento econômico da região. O Sisfron irá exigir a contratação de funcionários e instalação de empresas para prestar serviços nas áreas de comunicação de dados, informática e manutenção.

SOLENIDADE

Durante a solenidade de hoje, o general Enzo destacou o trabalho do general Ferrreira, que implantou o 9º Grupamento de Logística, o 3º Grupo de Engenharia e pelotões especiais de fronteira.

Ferreira se emocionou na despedida. Ele agradeceu aos amigos e familiares.

O novo comandante nasceu em Dracena (SP) no dia 8 de junho de 1953 e foi promovido a general de Exército no dia 31 de março deste ano. Antes, ele servia no Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército.

Ele foi formado na Academia de Militar das Agulhas em 1975. Ele já serviu em Mato Grosso do Sul em duas ocasiões, em Nioaque (1978-80) e como major no CMO em Campo Grande (1992-94). (CG News)

O sistema de monitoramento irá gerar empregos e implementar o desenvolvimento econômico da região, avalia Juarez (Foto: Google)

Comentários