04/01/2019 08h52

A China realizou um feito inédito e pousou pela primeira vez no lado escuro da Lua. Mas o que Pequim pretende fazer nesta região nunca antes explorada?

Redação

Nenhuma missão espacial jamais explorou o lado escuro da Lua. Sendo assim, esta é a primeira oportunidade de conhecer uma região misteriosa do satélite natural da Terra.

O lado da Lua que nunca foi visto do nosso planeta tem algumas diferenças importantes em relação à face visível do satélite, a mais próxima da Terra. O lado oculto tem uma crosta mais grossa, com mais crateras e menos “mares” – planícies escuras de formação basáltica, criadas por fluxos de lava – que são característicos da face lunar que está sempre posicionada de frente para a Terra.

A sonda não-tripulada Chang’e-4 teria pousado em um local conhecido como cratera de Von Kármán, uma depressão de 180 quilômetros localizada no hemisfério sul do lado oculto. A Von Kármán fica, por sua vez, dentro de uma abertura muito maior na superfície lunar, a Bacia do Polo Sul-Aitken.

Esta é considerada a maior, mais profunda e mais antiga bacia da Lua, formada pelo impacto de um asteroide – possivelmente de 500 quilômetros de diâmetro ou até mais – que colidiu com o satélite há bilhões de anos.

(*) BBC News

CNSA/AFP

Comentários