16/01/2013 21h47 – Atualizado em 16/01/2013 21h47

É muito grande a insatisfação dos trabalhadores do Consorcio UFN3 em Três Lagoas

Cerca de 3.500 operários cruzaram os braços, paralisando a obra da fábrica de fertilizantes da Petrobras

Ricardo Ojeda – Caldeirão do Bolsão

VÁRIAS REIVINDICAÇÕES

De acordo com o comando de greve, várias reivindicações serão apresentadas aos representantes do Consórcio UFN 3, responsável pela administração da construção do complexo industrial.

ATRASO

Segundo consta, o cronograma da obra está atrasado, causando prejuízos à Petrobras, que não vê a situação com bons olhos.

(DE)SINFORMAÇÃO

Aliás, a Petrobras, bem como a UFN3, deveria constar em seus quadros uma atuante e competente assessoria de imprensa, para manter os profissionais da área informados quando acontece uma ocorrência como essa.

CALVÁRIO

Para o site Perfil News conseguir um posicionamento da Petrobras, teve que fazer uma verdadeira “via crucis”, para se inteirar do fato.

PORTA FECHADA

O primeiro contato foi no escritório da UFN3, onde funcionava a Justiça Federal. Lá, funcionários bateram as portas e fecharam as janelas para não falar com a imprensa.

BOA SAMARITANA

Depois de mais de 30 minutos de espera, uma boa samaritana abriu a janela para informar que não poderia prestar nenhum esclarecimentos. Somente a Petrobras, através da sua assessoria. A funcionária disse que a assessora estaria no local onde os trabalhadores estavam concentrados.

JOÃO BOBO

Depois de quase 40 quilômetros de viagem até a entrada do complexo, não havia ninguém da Petrobras no local. De volta à cidade, foi tentado diversas vezes ligação para o site da empresa, mas o fone só dava ocupado.

ASSESSORIA DE (DE)SINFORMAÇÃO

Diante da dificuldade entramos em contato com a assessoria de estatal no Rio de Janeiro, que por sua vez ainda não tinha conhecimento da situação, mas reiterou que a empresa nada a tinha a declarar e quem deveria fazê-lo era o Consórcio UFN3, através da responsável pela assessoria de Comunicação, Andréia Mello, fornecendo inclusive o celular da mesma.

NADA A DECLARAR

Decorridos mais de cinco horas da primeira tentativa para ter um posicionamento da empresa sobre a paralisação, a assessora disse que nada tinha de concreto para informar, e que só poderia dar algum esclarecimento após tomar conhecimentos das exigências dos manifestantes.

PONTO DE INTERROGAÇÃO

Até então, o grande ponto de interrogação que fica nessa questão é por que as empresas se protegem escondidas em redomas blindadas, excluindo a comunidade de qualquer informação.

MORDAÇA I

Parece até que uma lei da mordaça está em curso. O que a Petrobras e o consórcio UFN3 têm a esconder da comunidade? Até hoje, nunca a imprensa foi convidada para conhecer o complexo industrial.

MORDAÇA II

Oras! A Petrobras é uma empresa pública, dos brasileiros. A obra está sendo construída com recursos proveniente do PAC, vindos do meu do seu e do nosso dinheirinho. Portanto informar a comunidade do andamento do cronograma da obra é obrigação.

PROCEDIMENTO CORRETO

Empresas da iniciativa privada, como a Sitrel, Eldorado, Fibria, International Paper que não tinham nenhuma obrigação de abrir-se à sociedade agiam e procedem até hoje de forma diferente.

TRATAMENTO DESUMANO

Talvez, reclamações como deste trabalhador que se identificou como Vitor Ricardo, através do comentário postado do Perfil News: Você precisa trabalhar dentro da UFN3 (Petrobras /Três Lagoas – MS), para descobrir que os colaboradores além receberem baixos salários são tratados de forma desumana. Cadê o lado social? (integração entre empresa e colaboradores). Sendo que esta é uma obra da Petrobras S/A, patrimônio dos brasileiros.

MAIS COMENTÁRIOS

Outro comentário enviado pelo leitor, Ricardo José prova por “A” mais “B” que a insatisfação dos trabalhadores em greve tem fundamento. Veja o texto: O abismo salarial é notório. Sabemos que mão de obra qualificada é difícil nessa região, entretanto uns tem salários exorbitantes, outros tem “MISERITS” (holerith com salário muito baixo). Alguns gerentes agem como semideuses, passam por você e demonstram a falta de educação.

VIDEO

Veja abaixo vídeo da manifestação e tire as conclusões.

RESTRITO

Talvez, deva ser por isso que a imprensa não tem acesso ao local da obra. Isso é caso para o Ministério Público averiguar. Com a palavra as autoridades.

ATRAVESSADORES

Outra situação que o Ministério Público deveria investigar são os comentários pelos quatro cantos da cidade sobre as possíveis cobranças de comissão praticadas por pessoas ligadas ao consórcio feitas a empresários do ramo de alimentação e alojamentos.

INTERMEDIADOR

Comentários ainda dão conta da existência do um autêntico cachoeirinha tupiniquim que recebe (ou melhor), exige comissões para intermediar negociações com empreiteiras ligadas ao complexo.

ATENTO

O titular do Caldeirão está atento a esses comentários e quando tiver uma prova concreta em mãos, divulgará na íntegra para conhecimento da sociedade e das autoridades. Até lá, temos que nos conformar com o quadro.

CRONOGRAMA ATRASADO

Segundo previsões já foram investidos na obra cerca de R$ 500 milhões e mesmo assim, o cronograma está atrasado. De acordo com informações extra-oficiais, pode até acontecer uma mudança no comando da obra.

COISAS BOAS

Mas vamos falar de coisas boas. Com todas as pompas e presenças de autoridade políticas e empresariais, o empresário Joaquim Romero Barbosa inaugurou a 4ª loja da rede Nova Estrela em Andradina.

MULTIDÃO

Mais de cinco mil pessoas se concentraram no estacionamento do Oeste Plaza Shopping para assistir a queima de fogos e curtir o show do Grupo Tradição.

ORGULHOSA

A prefeita Marcia Moura disse que se sente orgulhosa de “emprestar” um empresário de Três Lagoas, para o município de Andradina. Já o deputado Eduardo Rocha disse que se depender do empreendedorismo do Joaquim, daqui alguns anos ele chega a Bauru inaugurando lojas.

AGRADECIMENTOS

O prefeito de Andradina Jamil Ono agradeceu ao empresário pelo investimento feito no município que via gerar empregos e renda. Ao todo a loja possui 3 mil metros quadrados de área.

EXEMPLO

Enquanto quase toda imprensa da capital senta o porrete no prefeito Alcides Bernal, ele deu exemplo de honradez quando em menos de 15 dias solucionou o caso do eletricista Rodrigo Soares, que teve seu veiculo engolido por uma cratera aberta em via pública. Ele entregou o cheque no valor do veículo a título de indenização.

APOIANDO O SAMBA

As escolas de sambas de Três Lagoas não podem mais reclamar da falta de apoio. A Câmara aprovou projeto de lei para a prefeitura ajudar com recursos financeiros as agremiações da alegria. O valor gira na casa dos R$ 30 mil para cada uma das escolas.

PARA REFLETIR

“Poder-se avaliar um homem pela medida do que é preciso fazer para desencorajá-lo”.

(Robert C. Savage)



Comentários