15/11/2006 11h50 – Atualizado em 15/11/2006 11h50

Folha Online

A Agência Meteorológica do Japão emitiu um alerta contra tsunamis nesta quarta-feira logo depois que um terremoto de magnitude entre 7.7 e 8.1 na escala Richter atingir as ilhas Kuril, que ficam ao norte do país.O terremoto foi sentido a cerca de 390 km a leste da costa de Etorofu, ilha ao norte do Japão, às 09h15 desta quarta-feira (pelo horário de Brasília), de acordo com a agência.Apesar do alerta contra tsunamis, até o momento apenas pequenas ondas chegaram ao nordeste do Japão nesta quarta-feira. As ondas foram estimadas em 20 cm de altura.Inicialmente, a agência emitiu um alerta para um tsunami de cerca de dois metros ou mais, que poderia atingir a costa do pacífico da ilha de Hokkaido e da ilha de Honshu a qualquer momento após as 10h (horário de Brasília). Os residentes da costa do Pacífico do Japão foram advertidos para buscarem refúgio em regiões altas.Na cidade de Kushiro, o corpo de bombeiros e oficiais da prefeitura estão orientando residentes a buscarem segurança em outras regiões. Keiichi Kimura, um policial de Hokkaido, disse que não há até o momento relatos de feridos ou de danos a infra-estruturas após o terremoto.Oficiais da companhia ferroviária ordenaram que trens de Hokkaido parem em estações próximas como medida de precaução, de acordo com informações da rede de TV japonesa NHK. PerigoO Centro de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos relatou na internet que o tremor teve magnitude 7.8 e seu epicentro se localiza a 443 km no nordeste da ilha Kuril, a uma profundidade de 27,7 km da superfície. Tremores de magnitude superior a 7 graus são classificados de forma geral como terremotos grandes, capazes de danos severos aos países atingidos. Oficiais russos também confirmaram o terremoto. As ondas de um tsunami são muitas vezes pouco percebidas enquanto estão no oceano, mas podem atingir grandes áreas e altitudes uma vez que atingem a costa. Cindy Preller, do Centro de Alerta de Tsunami em Palmer, disse que o eventual tsunami não deve atingir o Havaí nem a costa oeste dos EUA ou da América do Sul. De acordo com Preller, há uma chance pequena de que algumas ilhas do Alaska possam ser atingidas.

Comentários