31/03/2015 14h56 – Atualizado em 31/03/2015 14h56

Meteorologista explica como funciona o clima desta estação do ano, que apresenta redução na frequência e volume da chuva na maior parte do Brasil

Assessoria

O outono de 2015 começou no dia 21 de março, às 19h45, horário exato em que o sol em sua posição aparente, estava alinhado com o equador e por isso os dois hemisférios da Terra receberam a mesma quantidade de luz solar, fazendo com que o dia tenha apresentado a mesma duração da noite. Este dia, chamado de equinócio, marca o início da estação de transição entre a estação quente (verão) e a estação fria (inverno).

Nesta época do ano são observadas mudanças no comportamento do tempo, como a redução na frequência e volume da chuva na maior parte do Brasil. Segundo Francine Sacco, meteorologista chefe na Squitter Soluções em Monitoramento Ambiental, a exceção é a parte do norte e do nordeste brasileiro, que tendem a apresentar o período mais chuvoso nessa época.

“Para o sul e sudeste, o que marca esta estação do ano é a redução do volume e frequência das chuvas, que, principalmente no sul, passam a depender mais dos sistemas frontais (frentes frias), dos ciclones e vórtices ciclônicos e menos da convecção (pancadas de chuva de final das tardes)”, conta Francine.

Outro fator bastante marcante e que já pôde ser observado nestes primeiros dias da estação é o aumento da amplitude térmica, ou seja, as noites passam a apresentar temperaturas mais amenas ao passo que as tardes ainda apresentam temperaturas elevadas, facilmente atingindo e/ou ultrapassando 30°C. Essa modificação do comportamento da temperatura é sentida desde os primeiros dias da estação na região sul do Brasil e mais a partir de abril no sudeste.

“Neste período de transição é comum, em especial a partir da segunda quinzena de abril, que massas de ar seco e frio de origem polar consigam atingir a porção centro-sul do país, com intensidade suficiente para declinar bruscamente as temperaturas, provocando até mesmo geada nas áreas mais altas. Outro fenômeno bastante comum no outono é o nevoeiro, provocado pela combinação de umidade ainda disponível com o resfriamento resultante, da perda radiativa (em noites de céu claro) ou pela chegada de ar frio proveniente do polo sul”, comenta a meteorologista.

Ainda segundo Francine, para a região de Santa Catarina, a previsão climática ou trimestral indica que, neste este outono 2015, a chuva fique entre o normal e acima desta, devido ao incremento de precipitação esperado para o mês de maio, em função do fenômeno El Niño. “Com relação às temperaturas, esperam-se temperaturas médias acima do normal no trimestre de outono, como resultado da maior disponibilidade de umidade na atmosfera. Mesmo assim ondas de frio intenso chegarão ao estado e serão intercaladas com períodos mais aquecidos”, finaliza.

Squitter Soluções em Monitoramento Ambiental

A Squitter Soluções em Monitoramento Ambiental é uma empresa 100% brasileira que atua no âmbito nacional no desenvolvimento e fabricação de equipamentos de monitoramento automático, principalmente nas áreas de Meteorologia, Hidrologia e Agrometeorologia. Conheça mais sobre a Squitter Soluções em Monitoramento Ambiental acessando o site http://www.squitter.com.br.

(*) KMS Comunicação

Orla da Lagoa Maior, em Três Lagoas (MS): outono chega, folhas caem (Foto: Marcus

No outono, a temperatura começa a cair e as noites são mais amenas (Foto: Lagoa Maior-Três Lagoas-Ricardo Ojeda)

Comentários