27/05/2015 08h45 – Atualizado em 27/05/2015 08h45

A provável candidatura de Zé Teixeira (DEM) à prefeitura de Dourados em 2016, ao lado de Marçal Filho (peemedebista rebelde em vias de se filiar ao PSDB), pode mudar o cenário político local. Para analistas, a aparente candidatura tranquila de Geraldo Resende (PMDB) pode sofrer abalos, isso porque, além dessas lideranças, outros nomes surgem como alternativas, como é o caso do deputado estadual Barbosinha (PSB), com bom trânsito em todas as correntes partidárias.

INTOLERÂNCIA

Mais uma greve à vista. Desta feita, nas universidades federais de Campo Grande e Dourados. Como se não bastassem as duas já existentes (redes estadual e municipal da Capital), mais essa para encher o saco da comunidade estudantil que nada têm a ver com isso. Esses movimentos passam a impressão de que os sindicatos da categoria dormem em berço esplêndido e nada fazem para evitar esses enfrentamentos. Eles se perpetuam no cargo e só aparecem nessas horas.

POLITICAGEM

Aliás, alguns sindicalistas têm demonstrando claro interesse em concorrer a cargos eletivos em futuros pleitos, principalmente na Capital. O próprio presidente da Fetems, Roberto Botareli, dizem, se vale do movimento grevista para tirar proveito político. Além do mais, a entidade é ligadíssima ao PT de Zeca, Delcídio e Cia Ltda. Apesar disso, o dirigente anda de braços e abraços com André Puccinelli (PMDB) depois de um aumento no apagar das luzes de seu governo.

INTERESSES

Distritão, fim do voto obrigatório, fim da reeleição, esticar para seis anos o mandato dos atuais prefeitos. Essas são algumas das discussões em torno da reforma política que está sendo discutida no Congresso Nacional. Por enquanto, não existe nenhuma hipótese de consenso sobre as mudanças que deverão ser introduzidas nessa futura reforma. Até este momento, interesses pessoais predominam entre os parlamentares e poucos têm o real desejo de mudança. Ao povo, resta o poder da pressão.

SUMIDO

Quem tem dado a cara com frequência no horário eleitoral reservado ao PSD é o vereador Coringa. Parece até que ele é o único representante do partido do Ministro das Cidades, Gilberto Kassab, em Mato Grosso do Sul. Com isso, ele vai se fazendo mais conhecido da população e terá mais vantagem sobre os demais na corrida eleitoral de 2015. O empresário Antônio João deve ter deixado a legenda, como prometera nas redes sociais.

Comentários