18/11/2006 18h30 – Atualizado em 18/11/2006 18h30

G1

Os números de casos da dengue estão aumentando no país e as autoridades de saúde estão preocupadas. Entre janeiro e setembro deste ano, 279 mil pessoas tiveram a doença no país, 27% a mais do que no ano passado. No mesmo período, foram anotadas 61 mortes decorrentes da dengue hemorrágica _a forma mais grave da doença. Para evitar uma epidemia, o Governo federal promove neste sábado (18) o Dia Nacional de Combate à Dengue em todo o país. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou das atividades no Rio de Janeiro. O ”Dia D”, como é conhecido, é no sábado, mas algumas atividades já começaram nesta sexta-feira (17) no Recife (PE). A ”pressa” tem motivo: nos primeiros nove meses de 2006, Pernambuco teve o dobro de caso de dengue na comparação com o mesmo período do ano passado. Das 61 mortes no país, duas foram no estado. Por isso, os agentes de saúde já começaram a orientar a população e distribuir folhetos explicativos e grupos culturais estão fazendo apresentações temáticas sobre a doença. No Rio de Janeiro, a preocupação também é grande. O estado foi o que mais registrou casos de dengue no país neste ano. A Zona Oeste da capital é a região mais atingida e onde estão concentrados os esforços para evitar uma epidemia. Na área, a atenção é especial porque estarão concentradas 80% das atividades dos jogos Pan Americanos, que acontecerão no ano que vem. No Distrito Federal, a campanha deve se concentrar nos casos importados. Para a Secretaria de Saúde da região, o mosquito que contamina a maioria dos abrasileirasse está longe da cidade. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, dos 308 casos de dengue confirmados no DF neste ano, 208 são de pessoas que teriam se infectado em algum estado vizinho – 44 contaminações foram em Goiás, 33 em Minas Gerais, 33 no Piauí e 24 na Bahia. No Paraná, o trabalho é direcionado às campanhas de conscientização para prevenir a doença e impedir a proliferação do mosquito transmissor. Até o início de novembro, 1.051 casos tinham sido registrados no estado, contra 989 nos 12 meses de 2005. Em Minas Gerais, agentes estão mobilizados. A primavera e o verão são os períodos do ano mais propícios à proliferação do mosquito, que gosta de calor e de chuva. Para evitar o desenvolvimento da doença, a população deve evitar água parada e limpa.

Comentários