02/10/2015 08h44 – Atualizado em 02/10/2015 08h44

Principais responsáveis são os patrocinadores que contribuíram para que a receita aumentasse em 2015

Da Redação

A reunião do Conselho de Orientação e Fiscalização do Palmeiras teve uma discussão entre o presidente Paulo Nobre e o ex-presidente Arnaldo Tirone, mas também teves pontos positivos. O balanço de agosto foi aprovado, e, passados oito meses de 2015, a arrecadação do alviverde se mantém bem acima das expectativas e pode até acabar superando a do Corinthians em 2012, ano do título Mundial.

Nos oito primeiros meses de 2015, o Palmeiras acumula R$ 243 milhões – isso dá uma média de aproximadamente R$ 30,4 milhões mensais. Os números têm se mantido constantes ao longo de toda a temporada, em patamares próximos da média em todos os meses.

Se mantiver a média – possibilidade considerada real pelos dirigentes – o alviverde fecharia o ano com arrecadação de R$ 364,7 milhões. A marca superaria a do Corinthians campeão mundial de 2012, que ficou em R$ 358 milhões, e é considerada até hoje um marco no futebol brasileiro. Também bateria a do São Paulo de 2013, de R$ 362,2 milhões – turbinada pela venda do atacante Lucas ao PSG, que rendeu mais de R$ 100 milhões aos cofres são-paulinos.

Depois de dois anos difíceis, o Palmeiras aumentou as fontes de receita em 2015. Dentre os principais responsáveis estão os patrocínios de camisa da Crefisa, Tim, Prevent Senior e Faculdade das Américas; receitas de televisão (pela primeira vez em seis anos o clube teve os valores integrais, sem nada antecipado); programa sócio torcedor Avanti e a bilheteria do Allianz Parque, maior do país.

CUSTO ALTO

A arrecadação alta não significa que o Palmeiras nada em dinheiro. Na medida em que as receitas aumentaram, também subiram os custos, principalmente na montagem de um time competitivo que disputa o título da Copa do Brasil e uma vaga no G4 no Campeonato Brasileiro. O clube social é deficitário: acumula R$ 14 milhões de prejuízo.

Por isso, mesmo com a receita alta, o lucro do alviverde é moderado: o clube está no azul em 2015, em cerca de R$ 5,6 milhões.

(*)Uol

Paulo Nobre apresenta a nova camisa do Palmeiras (Foto:Uol)

Comentários