12/06/2015 09h03 – Atualizado em 12/06/2015 09h03

Na avaliação da coordenadora do CIN da Fiems, Fernanda Barbeta, a iniciativa beneficia tanto os empresários que exportam quanto os que importam.

Assessoria

Mais agilidade no desembaraço das importações e exportações e, consequentemente, potencialização da cadeia logística. Esses são alguns dos benefícios do uso do terminal alfandegário no Aeroporto Internacional de Campo Grande apontados pelo CIN (Centro Internacional de Negócios) da Fiems, que vem tratando do assunto juntamente com o Governo do Estado e Infraero para a formalização de um termo de cooperação.

Na avaliação da coordenadora do CIN da Fiems, Fernanda Barbeta, a iniciativa beneficia tanto os empresários que exportam quanto os que importam. “Vale ressaltar que mesmo havendo o desembaraço da carga aqui é possível fazer a integração de outros modais”, destacou.

Na quarta-feira (10/06), o governador Reinaldo Azambuja, o secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento, Jaime Verruck, a superintendente do Aeroporto Internacional de Campo Grande, Barbara Antonia dos Reis Netto, e a coordenadora de negócios em logística de carga do Aeroporto, Maria Katiuscia Ribeiro Vieira da Silva, reuniram-se para tratar do processo de alfandegamento de produtos que podem ser realizados no aeroporto da Capital.

De acordo com a superintendente do Aeroporto, Barbara dos Reis Netto, o aeroporto conta com um terminal alfandegário que pode ser usado pelas empresas no trânsito de produtos que chegam e saem do Estado. Ainda segundo ela, esse terminal pode ampliar sua capacidade de atendimento em até 55% e só no primeiro quadrimestre de 2015 já passaram pelo terminal 595 toneladas de produtos diversos, o que significa um aumento de 22% em relação ao ano de 2014.

“A utilização desse terminal vai gerar emprego e principalmente, vai melhorar a questão da logística no Estado, além de gerar também um rendimento tributário para Mato Grosso do Sul por conta do ICMS que será tributado no local”, destacou a superintendente do aeroporto da Capital. Para o secretário Jaime Verruck, o objetivo do Governo do Estado é potencializar o uso desse terminal, que servirá como um instrumento de desenvolvimento do Estado.

Ainda segundo ele, será feito um acordo entre a Semade, a Infraero e a Fiems para a divulgação aos empresários locais desse terminal alfandegário. “Vamos assinar em conjunto um termo de cooperação que tem como objetivo promover e aumentar o uso desse terminal por parte das empresas locais, o que vai gerar aumento de emprego, e vai melhorar também a logística de Mato Grosso do Sul”, finalizou.

(*) FIEMS


Terminal alfandegário no Aeroporto Internacional de Campo Grande. (Foto: Assessoria)

Comentários