07/01/2013 22h54 – Atualizado em 07/01/2013 22h54

Índice da criminalidade diminuiu quase 40% se comparando com o ano de 2011

Em entrevista ao Perfil News, o comandante do 2º BPM de Três Lagoas, coronel Monari fala sobre a metodologia de trabalho e comemora redução do índice da criminalidade

Ricardo Ojeda

Nos últimos anos o município Três Lagoas teve um aumento na densidade populacional em mais de 10%. No Brasil, poucos foram os municípios com essa taxa de crescimento.

Se por um lado, esses dados favorecem substancialmente a cidade, por outro traz inúmeras preocupações às autoridades, principalmente na área social e no setor de segurança pública.

Para ter uma idéia, só no ano passado, os investimentos aplicados na construção de grandes complexos industriais, como a Eldorado Brasil, Sitrel, fábrica de fertilizantes da Petrobras, e várias outras obras públicas, aproximadamente R$ 6 bilhões.

Para erguer esses empreendimentos, houve a necessidade de contratação de mais de 10 mil trabalhadores, que vieram de diversas partes do país para trabalhar em Três Lagoas. Esses homens ficaram hospedados em alojamentos comunitários, e em imóveis espalhados por vários bairros da cidade.

Essa população flutuante alterou profundamente o cotidiano da cidade, impactando vários setores, como por exemplo, bancos, atendimentos em postos de saúde, restaurante e na segurança pública.

No tocante exclusivo relacionado à segurança, – que é o foco dessa entrevista, o Perfil News conversou com o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar de Três Lagoas, tenente coronel, Wilson Sérgio Monari que apresentou alguns dados, mostrando a diminuição em aproximadamente 30% das ocorrências em relação ao ano de 2011.

Segundo informou Monari o trabalho árduo da Polícia Militar é ininterrupto, 24 horas na rua. Mas informou que essa metodologia resultou na redução de 26% do roubo em comparação com o ano de 2011 e 20% em homicídios. Questionado sobre os índices dos furtos o comandante afirma que “o furto é mais complexo, pois ocorre na maioria das vezes envolvendo menores viciados em drogas. E dessa forma é necessário um trabalho mais direcionado, inclusive voltado à conscientização”, ressalta.

A metodologia de trabalho aplicado por Monari é a prevenção. “Já realizamos abordagens preventivas e devido essas ações evitamos um delito maior, como um assalto, ou talvez, quem sabe um assassinato”. “Em uma dessas ações encontramos arma municiada e touca preta para esconder o rosto da pessoa”, disse o comandante.

Segundo a legislação, a visão do furto é um pequeno delito que afeta tanto a população quanto o serviço da Polícia Militar e é sem dúvida um mal crônico da sociedade e que envolve diversas esferas do governo. Os usuários de drogas são um dos principais problemas que aflige a segurança pública. “Para sustentar o vicio, o dependente comete furtos e, infelizmente a legislação não prevê uma punição para o infrator”, comentou Monari. Exemplo disse são infratores pegos em flagrante com produtos do roubo e logo são liberados para praticar outro delito. “Teve caso de prendermos o mesmo infrator quatro vezes na semana”.

“Inclusive, o Governo Federal já anunciou um trabalho voltado ao combate das drogas, em especial o crack. “No Estado de Mato Grosso do Sul já temos a preocupação e a Polícia Militar realiza ações preventivas com jovens por meio do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas), e também o deputado estadual, Eduardo Rocha, está colocando em prática o enfrentamento através das audiências de combate ao crack”, frisou.

DISTRIBUIÇÃO DE BRINQUEDOS

Na véspera do Natal, Monari distribuiu centenas de brinquedos para as crianças da Vila São João, onde a PM conta com um posto de atendimento da Polícia Comunitária. Os brinquedos foram doados por um empresário paulista e fez a alegria da criançada do bairro, como pode ver nas imagens abaixo. O sub-comandante do batalhão, major Élcio Almeida, bem como a esposa do coronel Monari também acompanharam e entrega dos brinquedos

Pensando na segurança de Três Lagoas e de todo o Estado, o líder do PMDB na Assembléia Legislativa, o deputado Eduardo Rocha, já realizou no ano passado diversas audiências públicas em todo o Estado, para discutir com autoridades e população, o avanço do crack, droga esta que preocupa as autoridades. A ação tem surtido resultados e contribuído com o trabalho ativo da Polícia Militar que também é parceira desse movimento.

Segundo Monari, colocar a banda para tocar não é tarefa fácil. O 2º BPM conta hoje com excelentes profissionais e que cada um sabe da responsabilidade que tem com essa causa tão nobre que é a segurança. “A tropa é muito boa. São motivados, fazemos ações internas de valorização e isso reflete em uma equipe mais motivada para cuidar da nossa comunidade. No ano passado batemos recorde em mandatos de prisões e tudo isso é possível, pois todos acreditam no nosso trabalho e sem dúvida, nos ajudam também”.

Para valorizar o policial temos um programa de pontuação. Quanto mais abordagens e prisões a equipe registrar, a pontuação aumenta gradativamente. Os policiais são homenageados a cada mês, com fotografias no painel, com mensagens de elogios, entre outras homenagens.

“A pontuação é uma competição sadia, por que além das abordagens e prisões, fazemos a avaliação do tempo para registrar a ocorrência e a retorno da viatura para fazer a ronda na cidade”.

Outro grande aliado na atuação da Polícia Militar é a informatização das viaturas que foram equipadas com tablets, que agilizou a comunicação da equipe na rua com a central de operações da PM. Agora o sistema on-line permite checar um veículo ou uma pessoa no local da abordagem. “É um projeto piloto iniciado em Três Lagoas e com total apoio do comando geral. Esse projeto poderá no futuro ser incorporado nos demais batalhão da Polícia Militar”, contou o militar.

Mais uma novidade a ser implantada é o projeto que está sendo gestado há mais de um ano que vem sendo desenvolvido em parceria com o Conselho de Desenvolvimento Sustentável do Município, é o sistema de monitoramento por câmeras. O projeto já foi aprovado pela prefeita Marcia Moura e será implantando através dos recursos da Petrobras, como compensação dos impactos mitigatórios no município.

Segundo Monari, as câmeras serão instaladas em locais onde é alta a concentração de ocorrência de criminalidade.

Alguns bairros de Três Lagoas precisam de atenção especial. Segundo Wilson Monari, a base móvel da Polícia Militar foi um sucesso no bairro São João e levou mais segurança para aquela comunidade. Entretanto, a preocupação maior é sem dúvida a área central. “Devido o fluxo intenso de veículos, grande aglomeração de pessoal e também muitos bancos e lojas. Nesse caso precisamos ficar atentos a esse lugar”.

Para isso, uma câmera foi instalada no relógio central da cidade e todo o monitoramento é feito do local e as imagens enviadas em tempo real para o centro de operações do Batalhão. “É uma ferramenta importante que está dando certo. Hoje temos todo o apoio do comando geral, através do Coronel David. Outra ação é a polícia comunitária, que é um canal direto com a população”.

RECADO

“A população de Três Lagoas e também dos municípios que atendemos pode ficar tranquila e esperar uma equipe ainda mais comprometida. Esse é o nosso desafio e esperamos um ano melhor e vamos buscar esses resultados. Será um ano de muito trabalho e atuação”, conclui Monari.

Em entrevista exclusiva ao Perfil News, Monari disse que comanda também os pelotões da PM dos municípios de, Brasilândia, Santa Rita do Pardo, Água Clara, Selvíria e os distritos de Arapuá e Debrasa (Fotos: Rafael Furlan e Ana Lívia)

Através do sistema de pontuação as viaturas não permanecem muito tempo na delegacia para registrar ocorrência (Foto: Ricardo Ojeda)

Comentários