02/02/2012 17h16 – Atualizado em 02/02/2012 17h16

Depois de oito dias de paralisação e quatro reuniões trabalhadores retornam ao trabalho na segunda-feira (6)

Paralisação só acabou após contraproposta dos funcionários

Elisângela Ramos

Depois de 7 dias de paralisação os trabalhadores de empresas terceirizadas que estão construindo um dos maiores complexos industriais no setor de celulose do mundo, chegaram a um consenso depois de uma assembléia realizada no canteiro de obras da Eldorado Brasil.

MESA DE NEGOCIAÇÕES

Na mesa de reunião realizada ontem (01) o procurador geral do trabalho e emprego do Mato Grosso do Sul, Anizio Pereira Tiago, mediando à negociação, juntamente com representantes do Ministério Público do Trabalho, Ministério do Trabalho, Sindicatos de classe, Força Sindical de MS, Força Sindical Nacional, além de representantes da Eldorado Brasil, empreiteiras contratadas e a comissão formada por trabalhadores.

PRIMEIRA PROPOSTA

Depois de horas e horas de negociação um representante dos empregadores apresentou a seguinte proposta:

*O vale alimentação que era de R$ 50 passa para R$ 130, ou seja, um aumento de R$ 60;
*Os 5 dias úteis de paralisação não serão descontados e nem compensados por nenhum operário;
*Nenhum trabalhador poderia ser demitido na data de ontem (01);

ASSEMBLÉIA

De acordo com o presidente do Sintricon, Aguimar Luiz de Souza, foi realizada a primeira assembléia e na ocasião apresentada a proposta aos operários, mas eles não aceitaram. “Então nos reunimos com os trabalhadores que fizeram uma contra proposta, então apresentei aos empresários que acabaram aceitando os pedidos”, conta o presidente.

TRABALHADORES

A proposta que deu fim a paralisação, foi apresentada pelos trabalhadores e aceita pelos empregadores.

*Estabilidade de 90 dias;

*Os dias de paralisação serão abonados e os funcionários só voltarão a trabalhar na segunda-feira (6), os que quiserem trabalhar o canteiro está aberto, mas os que não forem também não será descontado do salário;

*Folga de campo com 5 dias com a família e compensação;

*Vale alimentação que era de R$ 50 foi reajustado para R$250;

A paralisação chegou ao fim depois de dias de negociação 
Foto: Cristiane Vieira

Os representantes das empreiteiras durante negociação
Foto: Cristiane Vieira

Comentários