15/03/2012 16h47 – Atualizado em 15/03/2012 16h47

Passeata reúne 15 mil trabalhadores em Educação na Capital.

A mobilização em Campo Grande superou as expectativas.

Da Redação*

Cerca de 15 mil trabalhadores da educação de todo Estado, segundo estimativas da Polícia Militar, participaram da passeata pelas ruas do centro de Campo Grande. A mobilização organizada pela FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) superou a previsão inicial, que era de mobilizar 10 mil.

Segundo o presidente da FETEMS, Roberto Magno Botareli Cesar, o movimento
dos trabalhadores da educação mostrou a sua força, com uma das maiores
passeatas da história da Federação.

“Este ato será lembrado como o dia de luta da educação pública em Mato Grosso do Sul, nós conseguimos superar as nossas expectativas e colocamos mais de 15 mil trabalhadores nas ruas de Campo Grande na batalha pelo nosso Plano Nacional de Educação, pelo investimento de 10% do Produto Interno Bruto na Educação e pelo cumprimento na íntegra da Lei do Piso Salarial Nacional. Esta é mais uma ação que comprova a força da categoria que não tem medo de sair nas ruas e lutar pelos seus direitos”.

Para a representante da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em
Educação), Fátima Silva, este foi um dos maiores e mais bem organizados atos públicos que aconteceram pelo Brasil.

De acordo com o presidente do SIMTED (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) de Dourados, João Vanderley de Azevedo, que levou a maior delegação do interior do Estado (cinco ônibus), com mais de 200 trabalhadores da educação, a passeata atingiu o seu objetivo, colocou nas ruas a categoria de todo o Estado e agora é esperar que o poder público entenda que se for preciso a categoria para na busca de melhores condições de trabalho, por uma educação pública de qualidade.

“Mostramos a nossa capacidade de mobilização para os gestores públicos, para toda a sociedade e sabemos que se for preciso parar nós paramos e vamos a luta por nossos direitos. Esperamos que após a nossa movimentação estadual e nacional e Lei seja cumprida, queremos o cumprimento na íntegra da Lei do Piso Salarial Nacional”.

Após a passeata, os grevistas seguiram até a Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) para a entrega de um documento que solicita intervenção da entidade nos municípios para que a Lei do Piso Salarial Nacional seja cumprida na sua íntegra nas redes municipais de ensino. À tarde a categoria seguiu para a Federação para a entrega do prêmio “Prefeito Educador” aos 15 gestores públicos que cumprem a Lei do Piso em suas cidades.

(*) Com informações da Assessoria de impresa

Passeata de professores em Campo grande reúne 15 mil, segundo cálculos da PM. (Foto: Divulgação)

Comentários