23/04/2015 08h46 – Atualizado em 23/04/2015 08h46

A presidente Dilma Rousseff avisa que o contingenciamento do Orçamento da União para este ano será “significativo” para garantir o cumprimento da meta de superávit primário de 1,2 por cento do PIB (Produto Interno Bruto). Jura que a aprovação do ajuste fiscal é imprescindível para a economia do país. Resta saber se os cortes vão atingir os chamados “restos a pagar” que os municípios sul-mato-grossenses têm para receber do governo federal referentes a 2013 e 2014.

SUJOU

Mais uma na conta da atual legislatura municipal da Capital. Desta vez, um escândalo apimentado e de difícil solução naquele poder. Embora tudo ainda esteja sendo apurado e, portanto, o que existe de fato é apenas suspeita, o certo é que o caso ganhou dimensões gigantescas e com fatura a ser debitada nas contas do Poder. Se metade do que já foi publicado for verdadeiro, existe aí um submundo criminoso em que a Polícia e o Ministério Público precisam destruir.

PROTEGIDOS

Casos de pedofilia já denunciados no país envolveram de padres a políticos, mas com resultados práticos muito aquém do esperado. Aqui, por exemplo, na década de 90, um dos poderes fez sessão secreta e seus integrantes, corporativistas que só, decidiram não liberar o político em questão para responder por crime de estupro. Fatos como esse envolvendo gente poderosa devem ter tido decisão semelhante. Talvez, isso explique o fato, se bem que hoje não existe mais esse tipo de blindagem.

VALOR MENOR

O verso da música de Zé Rodrix, Soy Latino Americano, que diz: ‘o apressado come cru e eu como mais descansado’ serve bem para ilustrar o dinheiro gasto com a inspeção veicular em MS. Os primeiros a estar em dia com a lei pagaram o valor integral enquanto os mais descansados vão se beneficiar com um desconto de 20% na fatura. É que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) decidiu enviar o projeto com o esse desconto à Assembleia Legislativa, que deve votá-lo na sessão desta quinta-feira.

DESSERVIÇO

O deputado estadual Zé Teixeira (DEM) criticou ontem a homenagem que o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), prestou com a entrega da Medalha da Inconfidência ao líder sem-terra, João Pedro Stédile. “É um desserviço o que o governo de Minas Gerais fez. Uma afronta ao seu povo mineiro”, disparou o democrata

Comentários