01/04/2018 08h12

Queda será de 0,75% e valor deve passar de R$ 4,2219 para R$ 4,1904, segundo a União

Redação

A pauta fiscal dos combustíveis deverá mudar a partir de amanhã, com redução de até 3,47% nos preços médios dos combustíveis. Os dados constam de tabela do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), publicada no Diário Oficial da União. O relatório prevê que, o valor do litro da gasolina comum, a ser utilizado como referência no mercado estadual, deverá ficar 0,75% mais barato, passando de R$ 4,2219 para R$ 4,1904. Para o óleo diesel, a queda estimada é de 0,67% e o litro do combustível sai de R$ 3,7330 para R$ 3,7076. A exceção à regra é o etanol, para o qual a expectativa é de aumento: o litro do derivado de cana deve ficar 0,82% mais caro, de R$ 3,4309 para R$ 3,4589.

Ainda conforme o ato da Comissão Técnica Permanente (Cotepe) do Confaz, a gasolina aditivada também terá redução no valor de referência, de R$ 5,6364 para R$ 5,6027 (-0,60%). Para o diesel S-10, o percentual de queda é de 0,70% e o valor vai de R$ 3,8602 para R$ 3,8331.

O maior percentual de queda é projetado para a querosene de aviação. O valor de referência para o litro do produto deve passar de R$ 2,7905 para R$ 2,6935. Já o gás liquefeito de petróleo, o gás de cozinha, deve ficar 2,1% mais barato, saindo de R$ 5,5760 para R$ 5,4558. Para o gás natural veicular (GNV), não houve reajuste no valor de referência.

Varejo

De acordo com o mais recente levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio da gasolina fechou em R$ 4,159 no Estado, na semana encerrada no último dia 24. O menor valor ficou em R$ 3,99 e o maior a R$ 4,56.

Já o preço médio do diesel está em R$ 3,75, enquanto do etanol ficou em R$ 3,42, valor médio praticado no Estado.

Em Campo Grande o preço da gasolina ficou em média cotado a R$ 4,08, variando de 4,05 preço mínimo a R$ 4,15 preço máximo.

(*) Correio do Estado

Preços de combustíveis estão tendo queda nos postos do Estado - Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Comentários