08/03/2016 09h49 – Atualizado em 08/03/2016 09h49

Separados no campo ideológico, mas misturados nas amarrações de seus partidos, Reinaldo Azambuja (PSDB) e André Puccinelli (PMDB), ex manda-chuva de MS, estiveram juntinhos por ocasião da filiação do deputado estadual Márcio Fernandes (ex-PTdoB) à legenda peemedebista. O moço, certamente, se sentiu envaidecido por tão ilustre presença ao ato em que foi o destaque principal. O tetê-à-tête entre André e Reinaldo, porém, não foi registrado por nenhuma testemunha, mas deve ter sido recheado de amenidades. É o que se presume.

DECIDIDO

Os irmãos Marquinhos (PSD) e Nelsinho Trad (PTB) devem marchar unidos rumo às eleições de outubro com apenas um deles como candidato a prefeito da Capital. Segundo analistas, está quase tudo certo de que o primeiro é quem será o ungido da família para disputar o cargo. Ao segundo, que já foi prefeito por dois mandatos, restaria aguardar 2018 para se lançar a uma vaga ao Senado. Afinal, ele tem experiência no campo legislativo por ter sido vereador e presidente da Casa de Leis, além de também ter sido deputado estadual. Assim, a paz reinaria absoluta entre o clã.

BICO FECHADO

Por enquanto, o nome do PSDB para disputar a prefeitura da Capital continua em absoluto sigilo. Até o momento, ninguém se atreveu a sair por aí anunciando uma pré-candidatura. Sempre que tocam no assunto, pisam em ovos para não colocar tudo a perder. No entanto, as especulações apontam em duas direções: a vice-governadora Rose Modesto e o secretário de Assuntos Estratégicos, Eduardo Riedel.

Aliás, em entrevista ao Bom Dia MS, ontem de manhã, ele mostrou excelente desenvoltura em torno dos assuntos discutidos. Pode estar surgindo aí o nome tucano.

ARTIMANHA

Manobra política levou o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) a apresentar à Mesa Diretora do Senado uma licença médica por 15 dias a partir desta terça. O relator da Lava Jato no STF, Teori Zavascki, tinha autorizado a permanência do petista em SP para exames médicos entre os dias 26 de fevereiro a 7 de março. A prorrogação da licença médica será comunicada ao plenário do Senado e não precisa ser autorizada pelo Supremo.

MAIS UM

Integrante do chamado “baixo clero” na Assembleia, o deputado estadual Márcio Fernandes filiou-se ontem ao PMDB e pediu para ser incluindo na lista de pretensos candidatos à prefeitura de Campo Grande. Além dele, desejam concorrer o deputado federal Carlos Marun, e os vereadores Paulo Siufi e Carla Stephanini.
No jargão político, ‘baixo clero’ é o termo criado para definir os deputados de pouca expressão no exercício de suas funções.

Comentários